logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Autonomia do Aprendiz em CALL
Autor(es): Christopher Dane Shulby. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Autonomia, Autonomia, CALL
Resumo

A aprendizagem on-line tem crescido de forma acelerada nos últimos anos em todos os gêneros, lugares e combinações. Atualmente a literatura sugere que seja dada mais atenção aos comportamentos dos aprendizes em CALL, acredita-se que determinados tipos de aprendizagens e comportamentos levam a mais sucesso do que outros, especialmente aqueles que utilizam estratégias autorreguladas e conscientes de metacognição. A maior parte da pesquisa disponível está focada em estudantes universitários e em ferramentas complementares aos cursos presenciais, portanto, existe uma grande falta de pesquisa focada no professor do ensino médio e abaixo. O objetivo deste estudo foi investigar como aprendizes ativos e autorregulamentados diferem de seus pares passivos, que não têm tais habilidades em um curso de língua estrangeira on-line em termos de sucesso, aprendizagem e estratégias utilizadas bem como apresentar uma tipologia de estrategias de aprendizagem que pode ser útil para que o professor pode diagnosticar e avaliar seus alunos. Entre os participantes incluídos no estudo, N = 10 alunos são intermediários de alemão de um distrito escolar rural no meio-oeste dos Estados Unidos, sem nenhuma experiência anterior em cursos on-line. Os dados foram obtidos por triangulação de dados quantitativos bem como qualitativos, incluindo a análise estatística detalhada dos registros do Moodle, notas do professor e as respostas de pesquisa dos estudantes. O estudo mostrou que o autorregulamento e estratégias de aprendizagem mais ativas são fundamentais para os resultados da aprendizagem no ambiente on-line. Os estudantes que verificaram meticulosamente suas respostas e utilizaram bem os recursos foram os mais bem sucedidos. Outras estratégias desenvolvidas tiveram graus diferentes de eficácia, embora algumas pareciam ser mais eficazes do que outras. Os cursos virtuais devem implementar pedagogias fortes e bem fundamentadas, incluindo também uma orientação bem desenvolvida do aluno, bem como o apoio e treinamento para auxiliar a aquisição dessas estratégias eficazes e autorregulação da aprendizagem.