logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Entre cores, palavras e sons: um conto de Orígenes Lessa
Autor(es): Mariângela Alonso. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Impressionismo, Impressionismo, Orígenes Lessa
Resumo

O Impressionismo foi um dos principais movimentos da arte ocidental da segunda metade do século XIX. A expressão impressionista originou-se a partir das experiên­cias artísticas presentes na obra de pintores como Claude Monet, Camille Pissaro, Edgar Degas, Pierre-Auguste Renoir, Alfred Sisley e Frédéric Bazille, os quais consa­graram-se como verdadeiros expoentes. A presença do Impressionismo foi sentida muito além da pintura, uma vez que seus ideais e aspectos alastraram-se por outras estéticas, mostrando à sociedade burguesa da sua época uma moderna forma de pintar e de ver. Na Literatura, a principal característica impressionista relaciona-se à presença de aspectos sinestésicos e metafóricos, tais como a sugestão de imagens e a impressão de atmosferas. A experiência de luz, ar e cor são percepções próprias da pintura e encontraram na Literatura um meio adequado para serem expressas. Trata-se, portan­to, de uma expressão pautada pela sugestão dos objetos, bem como das sensações e subjetividades despertadas por eles. A escrita impressionista opera uma atmosfera poética, na qual o projeto de escrita busca não a retratação do mundo, mas a revelação. Tal qual o trabalho do poeta, o narrador impressionista está submerso na eterna busca pela natureza primeva das palavras e a pluralidade de significados por vezes já esquecidos. É o que encontramos no conto “As cores”, de Orígenes Lessa (1903-1986). Desta forma, o presente estudo tenta observar as impressões pictóricas vivenciadas pela protagonista Maria Ali­ce e as possíveis convergências entre literatura e pintura presentes na constituição da obra. O conto “As cores” pertence à coletânea intitulada Balbino, homem do mar, pu­blicada por Orígenes Lessa em 1960. Em maioria, os contos da referida coletânea são marcados por um constante trabalho artesanal com a palavra, no que diz respeito à vigilância e autocrítica do autor em relação à plena realização da linguagem. Assim, a pesquisa visa salientar o traço poético da obra de Orígenes Lessa, marcada por uma linguagem polissêmica e caracterizada muitas vezes pela permanência de traços impressionistas. Para tanto, recorremos a instrumentais teóricos que iluminam o tema, tais como as teorizações de Arnold Hauser (1995), Juan José Balzi (1992), entre outros.