logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Rap, Funk e Foucault: crítica social e humor. Análise lingüística e discursiva das paródias-satíricas de Marcelo Adnet
Autor(es): Gabriela de Lourdes Porfírio Cardoso. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 24/02/2024
Palavra-chave referenciação, referenciação, paródia-satírica
Resumo

O presente trabalho visa ao estudo linguístico e discursivo de três paródias-satíricas de autoria de Marcelo Adnet, Gaiola das cabeçudas, Gaiola das cabeçudas 2 (inspiradas em letras de funks de sucesso e que têm como objetivo serem eruditos e conteudistas) e Rap do PM (que desconstrói as matrizes do próprio rap, como movimento de contestação e denúncia, dando voz aos ”opressores”), levando em consideração o atual cenário humorístico brasileiro e a relação direta existente entre sátira, paródia e modernidade. Entendemos, junto com Ingedore Koch (2007), que o fator de coerência intertextualidade é de extrema importância para o processo de leitura, especialmente da paródia, uma vez que a interpretação desta exige que o leitor faça recorrências a conhecimentos previamente adquiridos para que a leitura seja satisfatoriamente processada. Destacamos, então, o caráter dialógico e interdiscursivo da intertextualidade, características que ficam mais evidentes quando se trata da análise de paródias-satíricas. Nesse caso, para a construção do texto parodístico, o satirizador se inspira no texto-fonte, repetindo ou não sua estrutura básica, para a realização das suas críticas sociais. Queremos, assim, entender como nessas paródias se constroem, por vias linguísticas, incluindo aspectos pragmáticos, as críticas que a elas estão subjacentes. Mais do que isso, entendemos – junto com Charaudeau (2010) – que as escolhas do sujeito, não só em relação à organização discursiva ou ao modo de tomada da palavra, mas também à escolha lexical, ajudam a construir a identidade discursiva desse sujeito, de forma que possamos inferir quem é ele e quais são as suas intenções. Atendo-se às escolhas lexicais, entendemos que os processos de referenciação e categorização (MONDADA E DUBOIS, 2003) dão pistas sobre quem é esse sujeito comunicante, que assume uma posição de crítica, e como ele concebe seu sujeito destinatário, ao mesmo tempo em que ajudam a construir a imagem do sujeito enunciador.