logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: As orações concessivas-condicionais no português
Autor(es): Ana Paula Cavaguti. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave orações concessivas-condicionais, orações concessivas-condicionais, funcionalismo
Resumo

Com base na teoria funcionalista da linguagem, o objetivo principal deste trabalho é descrever e examinar, no português escrito contemporâneo do Brasil, as orações adverbiais designadas concessivas-condicionais (HARRIS, 1985, KÖNIG, 1986; DANCYGIER, 1988, 1998; SWEETSER, 1990; entre outros) a fim de elencar os conectivos que exercem essa função e, com isso, especificar os parâmetros que configuram esses contextos. Essas orações compartilham, ao mesmo tempo, valores semânticos das orações concessivas e das condicionais, no sentido de que, assim como as orações concessivas, no sentido estrito, as concessivas-condicionais descrevem eventos que contrariam a expectativa do ouvinte, segundo o princípio da regularidade, isto é, elas refutam, na apódose (oração nuclear), o que se seria “normal” ocorrer no mundo real (KÖNIG, 1986; DANCYGIER, 1988, 1998; SWEETSER, 1990), e o resultado expresso na oração nuclear independe da escolha descrita na oração adverbial. No que diz respeito às condicionais, as orações em estudo preservam a propriedade relacionada à hipoteticidade, isto é, uma oração concessiva-condicional não descreve fatos, e sim, expressa conteúdos em termos de suposição, de caráter hipotético, não-factuais. Como assevera Neves (1999, p. 590), esse tipo de construção exerce duplo papel semântico: “a) “expressar condição hipotética, isto é, uma possível condição (valor condicional eventual e, ao mesmo tempo; b) negar a relevância dessa eventual condição para o cumprimento do estado de coisas da oração nuclear (valor concessivo).” Embora a autora tenha se dedicado à descrição desse tipo de oração, a descrição apresentada não é sistemática. Diante disso, de modo a enriquecer e a contribuir com os estudos do português brasileiro, faz-se necessário analisar os contextos de uso dos conectivos que codificam esse viés concessivo-condicional com o intuito de especificar, de forma exaustiva, as propriedades discursivas, semânticas e morfossintáticas envolvidas nesse tipo de construção. O córpus analisado será composto de textos formais escritos, extraídos do Corpus do Português, disponível em . Para a análise, considerar-se-ão os seguintes critérios: (i) tipo de conectivo; (ii) ordem da prótase (oração adverbial) em relação à apódose (oração nuclear); (iii) relações de tempo e modo verbais que configuram ambas as orações; (iv) categorias aspectuais; entre outros. Pretende-se, com este trabalho, fornecer um estudo detalhado a respeito do tema proposto, ainda não realizado, sistematicamente, no Brasil.