logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A justaposição oracional em dados de aquisição de escrita
Autor(es): Lúcia Regiane Lopes-Damasio. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave justaposição, justaposição, aquisição de escrita
Resumo

Este trabalho, desenvolvido no Grupo de Pesquisa Estudos sobre a linguagem (GPEL/CNPq processo 400183/2009-9), é parte de uma pesquisa mais ampla que pressupõe que os esquemas de junção de um texto, com suas possibilidades variáveis de realização, no que tange à arquitetura sintática e às relações lógico-semânticas e cognitivas, constituem um fenômeno sintomático para a apreensão da Tradição Discursiva (TD) em que o texto se insere (KABATEK, 2005). Assim, coloca, no centro de investigação, o comportamento da justaposição de orações, de modo a descrevê-lo e analisá-lo, bem como a identificação das possíveis relações desse mecanismo de junção com os índices de mescla de TDs, especificamente, no contexto de aquisição de TDs no modo de enunciação escrito. Dessa forma, procura responder às questões: Qual o melhor enfoque da justaposição de orações tomada como marca da relação entre o oral/letrado e o falado/escrito, enquanto fatos linguísticos – fala e escrita – e práticas sociais – oralidade e letramento (CORRÊA, 1997, 2004)? Como o emprego de justaposições oracionais pode refletir a mescla de TDs durante o processo de aquisição de TDs da escrita? O objetivo geral do trabalho é, portanto, descrever e analisar os casos de justaposição de orações, empregados em TDs distintas, buscando critérios de caracterização desse comportamento e relações entre ele e possíveis reflexos de mesclas de TDs. Para tanto, adota-se um modelo funcionalista de junção (HALLIDAY, 1985), fundado na não discretude dos processos e num arranjo bidimensional das relações desempenhadas pelos juntores (RAIBLE, 2001), em que se entrecruzam o eixo tático e o das relações lógico-semânticas e cognitivas (KORTMANN, 1997). O universo da investigação é constituído a partir de produções textuais extraídas do banco de dados que subsidia as pesquisas do GPEL e compõe-se por textos de alunos de uma escola pública e periférica, coletados com periodicidade quinzenal, ao longo das duas primeiras séries do Ensino Fundamental. Os resultados da análise, quantitativa e qualitativa, revelam que as justaposições, em contextos que permitem inferências de relações semântico-cognitivas distintas, aparecem recorrentemente nos limites entre uma TD e outra, ou seja, como sintoma de mescla de TDs, e mostram, consequentemente, que, ao escolher o modo de “juntar” orações, nos eixos sintagmático e paradigmático, as crianças deixam pistas, nos textos, que indicam a heterogeneidade constitutiva da escrita e, intrinsecamente associada a ela, a heterogeneidade constitutiva das tradições em que os textos estão inseridos.