logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Política de produção do dicionário Caldas Aulete digital: relações entre infra-estrutura e superestrutura
Autor(es): DAIANE SIVERIS. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave dicionário, dicionário, infra-estrutura
Resumo

Este trabalho, sob a perspectiva teórico-metodológica da teoria materialista do discurso, tem por objetivo apresentar reflexões preliminares advindas de nossa Tese, que está em fase inicial de escrita. O objetivo de nosso trabalho de Doutorado é explicitar o modo de constituição do dicionário Caldas Aulete digital, buscando compreender quais os critérios estabelecidos pela equipe de lexicógrafos para realizar a filtragem e a edição dos verbetes e de seus significados na constituição do dicionário digital, bem como compreender como esses critérios são determinantes para normatizar e instrumentar uma língua, no caso a língua portuguesa. O recorte que efetuamos para este trabalho refere-se à política de produção do dicionário Caldas Aulete digital. Para explicitar a política de produção desse instrumento linguístico, acreditamos que seja necessário pensar as noções de infra-estrutura e superestrutura, tal como desenvolvidas por Karl Marx e, posteriormente, por Louis Althusser, fundamentais para que possamos refletir sobre o modo de constituição desse dicionário. Essas duas noções tornam-se importantes porque observamos, pelo menos, duas posições-sujeito distintas: a posição-sujeito lexicógrafo, que é, além de conhecedor, um sujeito especialista da estrutura e do funcionamento da língua, e a posição-sujeito falante da língua, que é partícipe da construção do dicionário, por meio do envio de verbetes e de suas respectivas definições aos lexicógrafos, sendo conhecedor, muitas vezes, apenas do funcionamento da língua em uso diariamente. As duas noções – infra-estrutura e superestrutura – estariam, a nosso ver, relacionadas a essas posições-sujeito, porque, se o dicionário segue determinada política instaurada pelo Estado, por exemplo, ele atende determinada estrutura em detrimento de outra. Para Marx, a infra-estrutura estaria constituída pela base econômica, pelas forças sociais, e a superestrutura, pelos Poderes (Executivo, Legislativo) estabelecidos, os quais determinam as relações de produção. Althusser, por sua vez, a partir das reflexões de Marx, aponta para uma autonomia relativa da superestrutura em relação à base, pois, se essa fosse sempre dominante, não haveria luta de classes, mas dicotomia entre infra-estrutura e superestrutura, o que não se tem em uma teoria materialista do discurso, porque o que rege as relações é o conceito de contradição. Partindo do fato de que a língua estaria na infra-estrutura, mas que tudo o que ocorre na superestrutura afeta a língua e intervém nela, nossa investigação gira em torno da seguinte questão: qual é a política de produção do dicionário Caldas Aulete digital em sua relação com a infra-estrutura e/ou com a superestrutura?

(Apoio: CNPq)