logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Aspectos conotativos dos topônimos do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira- Petar
Autor(es): Edelsvitha partel Murillo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 24/02/2024
Palavra-chave Topônimo, Topônimo, metonímia
Resumo

A região do Vale do Ribeira, ao sul do Estado de São Paulo, abriga a maior concentração de remanescentes de Mata Atlântica do Brasil. O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, Petar, entre os municípios de Iporanga e Apiaí, representa parte significativa desse bioma. Inserida nesse ambiente de mata preservada existe uma população que luta pelo resgate de sua história e identidade étnico-cultural. A nomenclatura toponímica, objeto desta pesquisa, determina significações atribuídas pelos grupos humanos que ocupam ou ocuparam a região configurando territorialidades específicas marcadas, principalmente, pelas comunidades rurais: grupos quilombolas que vivem na região desde os primórdios da colonização e pequenos agricultores que trabalham a terra para garantir a subsistência de sua família e da comunidade. Há, ainda, uma pequena comunidade urbana constituída, principalmente, por antigos moradores bastante identificados com as especificidades do lugar assim como grupos mais recentes ligados às atividades de pesquisa, turismo e espeleologia, grupos estes constituídos em função do Petar. Optou-se pela análise dos nomes de lugar levando-se em consideração as camadas toponímicas fundamentadas na historiografia da região, posto que as camadas explicariam as relações que, em diferentes épocas, o homem manteve com o lugar, pontuando interações importantes da população local com o ambiente: a primeira camada é marcada pela comunidade indígena que ocupava a região antes da chegada dos colonizadores europeus; a segunda está relacionado à chegada dos colonizadores, está implícita, nesse contexto, a comunidade negra que é decisiva na conquista dos territórios do Alto Ribeira, e a terceira relaciona-se à nova configuração da região como área de preservação ambiental e a constituição das Unidades de Conservação. As alterações ocorridas no espaço espelham as modificações que aconteceram na estrutura socioeconômica da comunidade e, consequentemente, estão refletidas na relação significante/significado do signo toponímico. Nesse sentido, o topônimo seria um elemento importante na constituição do conceptus do lugar. Seguiu-se a metodologia do Projeto ATESP, coordenado por Dick (1999), que tem por objetivo definir as origens dialetais e motivadoras das ocorrências toponomásticas do Estado de São Paulo. O Plano de Manejo do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira-Petar foi a base para o levantamento dos topônimos.