logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Estereótipos, religião e humor
Autor(es): Edvania Gomes da Silva. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 29/02/2024
Palavra-chave Discurso religioso, Discurso religioso, Piadas
Resumo

Neste trabalho, analiso piadas sobre religião, a fim de verificar os estereótipos que circulam acerca de certas religiões e também de pessoas religiosas, tais como padres, pastores, judeus, testemunhas de jeová, entre outros. Trata-se, mais espeficamente, de verificar quais enunciados acerca da religião são retomados/reconfigurados nas piadas analisadas. O corpus é constituído por piadas coletadas em sítios da internet. Os exemplos encontrados mostram que, apesar de diferentes, as piadas mantêm entre si semelhanças, tanto em relação à forma quanto em relação aos efeitos de sentido que elas materializam, uma vez que todas elas se constituem discursivamente por uma relação entre memória e atualidade, constituindo-se, portanto, como um acontecimento discursivo no sentido defendido por Pêcheux (1983a) no texto “O papel da memória”. Nas análises, recorremos, principalmente, ao conceito de estereótipo, conforme apresentado por Amossy e Pierrot (2005). Para as referidas autoras, a primeira aproximação possível entre estereótipo e Análise de Discurso está relacionada à noção de pré-construído. Nesse sentido, defendo que a noção de estereótipo liga-se, em alguma medida, à noção de memória discursiva, pois supõe a existência de algo que antecede e fundamenta a emergência dos enunciados. Para fundamentar as análises, recorro também a Pêcheux (1983b), em “Discurso: Estrutura ou acontecimento”, pois o referido autor problematiza o funcionamento do enunciado, mostrando que este é, por um lado, estrutura: fixa e obediente à ordem da língua; e, por outro lado, acontecimento: sempre sujeito ao equívoco. Os resultados mostram que, nas piadas, há um jogo entre desestruturação e reestuturação, como ocorre na seguinte piada-adivinha: “Você sabe o que os testemunhas de Jeová e os testículos tem em comum? É que os dois sempre andam juntos e ninguém os deixa entrar”, em que a expressão “ninguém os deixa entrar” pode ser interpretada com, no mínimo, dois efeitos de sentido, sem que um exclua, necessariamente, o outro.