logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Diferentes vozes no querer-dizer de um sujeito
Autor(es): Adriana de Paula. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave polifonia, polifonia, argumentação
Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar produções textuais de um mesmo sujeito elaboradas ao longo do Ensino Médio, de modo a discutir quais são os diferentes recursos mobilizados por esse sujeito para exprimir seu querer-dizer. Desse modo, analisamos as redações e suas propostas de produção no intuito de verificar como essas produções dialogam com a coletânea lida e com as orientações fornecidas para a sua elaboração. Para tanto, tomamos como referencial teórico a concepção bakhtiniana de linguagem como um processo dialógico, uma vez que, ao analisar dados de aquisição da escrita, torna-se fundamental considerar que, conforme Bakhtin/Volochínov (2006 [1929]), ao enunciar, o falante (escrevente) não parte do nada, mas considera os enunciados anteriores com que se relaciona. Um enunciado, o discurso de alguém, não surge no vazio, mas se relaciona, dialoga, com enunciados (discursos) precedentes. Considerando esse caráter dialógico da linguagem, segundo o qual todo discurso é construído a partir do discurso do outro, a noção de polifonia (cf. BAKHTIN, (2008 [1963]) também foi evocada para analisar o trabalho realizado por esse sujeito durante seu processo de aquisição da escrita, já que em um texto polifônico as diferentes vozes que o compõem dialogam explicitando o dialogismo que é constitutivo de toda linguagem. Do ponto de vista metodológico, baseamo-nos no paradigma indiciário de investigação (cf. Ginzburg, 1986), segundo o qual, a investigação de pistas, sinais, indícios, pode ser reveladora dos fenômenos da realidade que se busca conhecer. A análise de dados longitudinais permitiu-nos discutir de que modo as escolhas desse sujeito fizeram com que suas produções apresentassem um estilo individual, singularizando esse processo. Assim, os textos analisados mostraram momentos em que a jovem tomou para si a tarefa de refletir, elaborar e discutir sobre questões de seu interesse, conduzindo seu leitor através da argumentação dada pelo próprio texto. Com base nos argumentos apresentados, na seleção lexical e na organização sintática dos textos produzidos, ela encaminha seu leitor para o tipo de leitura que pretende que se faça daquilo que diz, convidando-o a refletir sobre os argumentos apresentados através do jogo polifônico.