logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Compreensão de sentenças passivas e interrogativas Wh com verbos de ação e de não-ação por crianças adquirindo o português brasileiro
Autor(es): Carla Pereira MInello. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 24/02/2024
Palavra-chave Voz Passiva, Voz Passiva, Movimento A
Resumo
Este trabalho tem por objetivos observar a compreensão de sentenças passivas e interrogativas Wh com verbos de ação e verbos de não-ação por crianças adquirindo o português brasileiro (PB), observando se os dados obtidos para o PB corroboram os achados obtidos por Hirsch e Hartman (2006) para interrogativas Wh e apresentados por Hartman (2013) para a voz passiva. Conforme Hirsch e Hartman (2006) e Hartman (2013), a criança durante o processo de aquisição do inglês não apresenta dificuldades com verbos de não-ação quando estes estão em sentenças com movimento A-barra ([Quem]i o coelho viu_i?), mas apresentaria dificuldade para compreender sentenças passivas (O coelho foi visto). A dificuldade da criança com passivas estaria na impossibilidade de formação decadeia-A ([O coelho]i foi visto_i), por apresentar um déficit de cadeia-A, a qual não matura antes dos sete anos de idade (Borer e Wexler, 2006). Até essa idade, a criança compreenderia passivas verbais com verbo de ação via estratégia de adjetivação por ser a passiva verbal e a passiva adjetiva homófonas no inglês, mas não compreenderia passivas verbais com verbos de não-ação por não existir no inglês passivas adjetivas com verbos de não-ação (Hartman, 2013). Foram aplicados testes linguísticos de compreensão em 36 crianças com idade entre 3 anos e 5 meses e 6 anos, de ambos os sexos. Foram utilizados os verbos acionais “beijar” e “molhar” e os verbos de não-ação “ver” e “amar” para a tarefa de compreensão de sentenças passivas e para a tarefa de compreensão de sentenças Wh. A metodologia utilizada para a atividade de compreensão de voz passiva curta (O coelho foi molhado) e longa (O coelho foi molhado pela gata) foi por meio de tarefa de julgamento de valor de verdade, onde o sujeito escolheu entre duas figuras previamente apresentadas (a figura com a situação alvo e a figura com a situação inversa) a figura que corresponda à sentença pronunciada pela pesquisadora. Já a metodologia utilizada na tarefa de compreensão da interrogativa Wh investigou a compreensão de interrogativas de sujeito (Quem molhou a gata) e a compreensão de interrogativas de objeto (Quem a gata molhou?). A cada quatro figuras apresentadas, foi apresentada duas figuras distratoras e pronunciada uma sentença na voz ativa, solicitando que a criança selecione a figura que corresponde à sentença pronunciada. Os dados obtidos serão submetidos a análises qualitativas e quantitativas e os resultados passarão por testes estatísticos inferenciais.