logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: As autorias enunciativas em enunciados concretos do gênero carta do leitor
Autor(es): Simone Ribeiro de Avila Veloso. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave Carta do leitor, Carta do leitor, enquadramento dialógico
Resumo

O presente trabalho objetiva expor resultados de uma pesquisa que considera a autoria enunciativa em enunciados concretos do gênero discursivo carta do leitor. A partir de uma perspectiva bakhtiniana, o estudo apresenta uma abordagem analítica comparativa que investiga a autoria criadora em cartas publicadas durante os meses de outubro de dezembro de 1980 nos jornais O Estado de São Paulo e Folha de S. Paulo, periódicos que se inscrevem na chamada imprensa paulista de referência. O estudo focaliza três vertentes de análise: 1) a autoral que aponta para duas autorias criadoras/ enunciativas – uma institucional, representada pelo autor/editor/jornalista e outra do autor/leitor; 2) dialógica, que sinaliza duas tendências – uma monologizante e outra dialogizante no tocante a tais autorias; e 3)o enquadramento dialógico, delineado por meio de três categorias discursivas: i.) polêmicas abertas; ii) polêmicas veladas; iii) denúncia; e iv) propositivas. No tocante à autoria enunciativa institucional/editorial, a pesquisa observa a disposição gráfica da materialidade linguístico-discursiva, como a seleção de títulos, a diagramação, a recorrência temática a partir da seleção editorial de cartas publicadas, dentre outros, reveladora de intencionalidades discursivas. Já no concerne à autoria enunciativa/criadora do autor/leitor, o estudo observa o enquadramento dialógico delineado pelos modos de tratamento da palavra alheia, bem como do tom avaliativo conferido aos diferentes objetos de sentido. Tais análises partem do princípio da relação EU-OUTRO como constitutiva da produção de sentido. É dessa forma que são considerados os diversos interlocutores presumidos na produção dos enunciados e inscritos na (e por meio da) relação entre elementos de ordem linguística e aqueles inerentes ao contexto extra-verbal, caracterizado por um momento de incipiente abertura política no Brasil. Tais relações, portanto, são analisadas sob a ótica conceitual da dupla orientação do gênero, ou seja, por um lado, compreende sua orientação social evidenciada pela presença presumida de seus interlocutores, bem como condições de realização, por outro, observa os modos de tratamento axiológico dos conteúdos temáticos, necessariamente vinculados a tal contexto.