logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Revista Estilo - a “transmidiação” discursiva da ideia de estilo, da agência bancária para a plataforma online
Autor(es): Érika de Moraes. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Discurso, Discurso, Contemporaneidade
Resumo

A “transmidiação” (do papel para o virtual, do mundo “real” para as plataformas digitais) é uma característica da contemporaneidade, noção que, apesar de difusa, necessita ser enfrentada, como defende o simpósio ao qual nos integramos. Tendo isto em vista, o presente trabalho volta o olhar para a Revista Estilo, lançada por meio digital no final de 2013 pelo Banco do Brasil, como parte de um projeto cujo foco parece ser a fabricação de um ethos de cliente exclusivo e sofisticado. Este argumento se sustenta pelo fato de que, em seu site, o Banco do Brasil Estilo se apresenta como “um conceito em relacionamento, desenvolvido para pessoas físicas de alta renda e que oferece um atendimento personalizado, (...) produtos e serviços diferenciados”. O conceito Estilo, do qual trataremos com base na referida revista, busca criar a imagem de diferenciação em relação ao Banco do Brasil em geral, cujo slogan é “bom para todos”, revelando compatibilização com uma característica atual de nossa sociedade: ao mesmo tempo em que se busca a ampliação de direitos “para todos”, buscam-se outros meios de construir o sentimento de ser especial, diferente, superior, exclusivo. A disponibilização online por si representa uma marca de diferenciação, visto que, ainda que o acesso à Internet seja cada vez maior, sabe-se que ele ainda não atinge toda a população brasileira, especialmente em termos qualitativos. Do ponto de vista físico, os tipos de equipamentos também interferem na qualidade de leitura; por exemplo, é mais confortável ler uma revista num tablet do que em um computador de mesa. Conforme defende Maingueneau, entende-se que o suporte dos discursos deva ser compatível aos seus conteúdos, criando assim cenografias que “justifiquem” o dizer ao mesmo tempo em que se constituem como tais por serem “solicitadas” pelo dizer. Assim, este trabalho se insere no quadro teórico-metodológico da Análise do Discurso Francesa, que considera a opacidade da língua em seus meios de produção de sentidos, intermediados por sujeitos atravessados por posicionamentos históricos, sociais e ideológicos. Desta forma, entende-se que a investigação em torno da Revista Estilo possa clarear esta difusa ideia de Estilo que funciona, sobretudo, como construção discursiva compatível a um certo ideário contemporâneo. Apesar de certas semelhanças da Revista Estilo com outra revista qualquer de variedades, sua própria constituição se compatibiliza com a constituição de um ethos de Estilo Exclusivo, do qual o próprio nome é parte fundamental.