logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Africadas do português brasileiro em uma situação de contato dialetal
Autor(es): Denise Pozzani. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Africadas, Africadas, Fonologia Gestual
Resumo

A pesquisa apresentada descreve aspectos gradientes de uma alofonia conhecida do português brasileiro (PB): a palatalização das oclusivas alveolares, que diante de /i/ começam a ser produzidas africadas. Estas costumam ocorrer consistentemente em certos dialetos do PB, em outros, porém, estão em processo de implementação, por serem consideradas uma variedade de prestígio. Desse modo, propõe-se a descrição do detalhe fonético de processos fonéticos envolvidos na adoção de tais africadas como variante inovadora em um grupo de falantes de Jundiaí-SP. Tal grupo iniciou o processo da variação ao viajar diariamente para Campinas-SP, uma vez que o falar de tal região costuma ser menos estigmatizado que o de outras cidades do interior paulista. Foi analisada a fala com aspectos gradientes de cinco estudantes do sexo masculino que mostraram variação não categórica ou irreversível na produção de suas africadas. As gravações foram feitas a partir da leitura de um conjunto de textos com palavras que apresentavam as oclusivas alveolares diante da vogal anterior. Em seguida, para verificar o local de articulação de produção das africadas, foram realizadas medidas dos momentos espectrais destas, que, por sua vez, foram comparados com os momentos espectrais de um conjunto de fricativas alveolares e pós-alveolares dos próprios sujeitos, em um estudo transversal. A metodologia estatística utilizada foi a Análise de Variância (ANOVA) para medidas repetidas, seguida do teste post-hoc de Tukey, para discriminação das diferenças de local. Pelas análises estatísticas do conjunto de dados, pôde-se observar como cada parâmetro espectral se comportou e, assim, entender a mudança de lugar de articulação. Também foi possível verificar, pela análise da mudança de taxa de elocução, que, em certos momentos, há mais controle do uso da variável inovadora na leitura normal do que na rápida. Acredita-se que a Fonologia Gestual seja o modelo mais adequado à descrição e explicação de processos gradientes  de variação, ao levar em conta a dinâmica dos processos fonológicos e os fatores tempo e magnitude dos gestos articulatórios na descrição fonológica.