logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Uma análise da norma legal sobre estágio de estudantes no Brasil numa perspectiva ergológico-discursiva
Autor(es): Fábio Carlos de Mattos da Fonseca. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Análise do Discurso, Análise do Discurso, Estágio Curricular Supervisionado
Resumo

Este trabalho tem por objetivo depreender os sentidos construídos para estágio de estudantes no Brasil a partir de diferentes documentos que normatizam sobre o tema, especificamente as Leis 6.494/77, 11.788/08 e o Decreto 87.497/82. Os eixos teóricos principais que sustentam as nossas reflexões advém de dois domínios: de um lado, da Análise do Discurso de Base enunciativa, tal qual proposta pelo linguista francês Dominique Maingueneau (2008), que preconiza a primazia do interdiscurso sobre o discurso, bem como a inseparabilidade do binômio texto/entorno sócio-histórico; de outro lado, da Ergologia (Schwartz, 2002; Schwartz & Durrive, 2007), abordagem segundo a qual todas as situações de trabalho integram a dimensão da atividade, a partir da qual se opera uma negociação constante entre todas as formas de antecipação da atividade (considerados aí os prescritos do trabalho e a própria cultura profissional) e a atividade em si (resultado de um processo constante de renormalizações). Do ponto de vista metodológico, foram coletados alguns documentos legais, selecionados aqueles que nos interessavam serem analisados e recortados segundo o objetivo do estudo: compreender sentidos de estágio de estudantes. No que tange à Análise do Discurso, situamos as nossas reflexões nas noções de tipo e gênero do discurso, embreagem enunciativa, tipos de designações e interdiscurso; buscamos avaliar, ainda, o alcance ergológico dos documentos tomados para estudo. Concluímos que, apesar de terem sido forjados em momentos históricos bem distintos (ditadura militar e período pós-redemocratização), os dispositivos legais em questão não constituem, ao contrário de nossa hipótese inicial, um antagonismo radical. Os sentidos construídos para estágio de estudantes, antes, parecem se relacionar numa escala progressiva, em que os textos procuram refinar-se quanto a uma dada construção discursiva da concepção de estágio de estudantes. Por fim, com relação ao enfoque ergológico, observou-se que, no corpus analisado, ainda não se considera satisfatoriamente a instância do educando/estagiário, principal ator social envolvido nos programas de estágio, o que exclui consequentemente a dimensão da atividade para a qual abordagem ergológica é particularmente sensível.