logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Questões de estilística no ensino da língua: uma aplicação da obra de Bakhtin ao contexto brasileiro
Autor(es): CLARICE LAGE GUALBERTO DE ABREU. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Ensino, Ensino, Estilística
Resumo

Esta pesquisa faz uma análise de trechos de livros didáticos de língua portuguesa (LDPs), especificamente das partes que tratam de questões gramaticais, a partir dos ensinamentos de Bakhtin (2013). Nesta obra, o autor critica o ensino de russo como língua materna e relata experiências bem sucedidas obtidas em aulas sobre sintaxe de períodos compostos. Para tanto, Bakhtin (2013) defende que é fundamental associar a interpretação estilística ao ensino do tema gramatical citado anteriormente. Ou seja, o aluno deve ser levado a refletir sobre as consequências (no âmbito semântico) das escolhas que faz ao utilizar esta ou aquela forma gramatical no uso da língua materna. É possível perceber, portanto, que, apesar de ter sido escrita originalmente na década de 40, a obra se revela extremamente atual e pertinente para o ensino de língua portuguesa. Dessa forma, este artigo se divide em duas partes principais: na primeira, objetiva-se analisar, na perspectiva bakhtiniana, como o tema dos períodos compostos é tratado por dois LDPs destinados ao 9º ano do ensino fundamental, ambos indicados pelo Guia de livros didáticos - PNLD 2014. Vale salientar que também foram considerados os comentários e as sugestões para o professor, constantes no livro próprio para o docente, a fim de que a análise pudesse abranger uma dimensão maior dos LDPs e não apenas as páginas do livro do aluno. No segundo momento desta pesquisa, o estudo propõe atividades com o foco neste conteúdo gramatical, adaptando a referência literária utilizada por Bakhtin (2013) para o contexto da literatura brasileira. Espera-se, portanto, avaliar em que medida os LDPs analisados nesta pesquisa se aproximam ou se distanciam da proposta bakhtiniana; isto é, favorecendo ou dificultando a aprendizagem da língua de forma crítica, em que o aluno tenha uma postura ativa e reflexiva diante da norma gramatical que lhe é ensinada. Por fim, com as atividades sugeridas neste artigo, não existe a pretensão ou meta de que elas representem formas corretas de se ensinar a língua. A intenção aqui é mostrar sugestões de como os conceitos de Bakhtin (2013) podem ser aplicados no contexto brasileiro, motivando os professores a alterá-las, se acharem necessário, e a elaborarem suas próprias atividades, de acordo com o contexto de cada um.