logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A possibilidade (e a necessidade?) do ensino de japonês através de gêneros textuais e material autêntico
Autor(es): Flávio Ricardo Medina de Oliveira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Gêneros textuais, Gêneros textuais, Material autêntico
Resumo

Nesta comunicação, argumentamos que o ensino de japonês como língua estrangeira calcada em uma visão estruturalista de língua, através de um eixo essencialmente gramatical, leva os alunos a colecionarem conhecimentos sobre a língua, sem se tornarem de fato capazes de se comunicar com ela. A grande maioria dos materiais didáticos existentes hoje, no entanto, argumentam que não é possível levar os alunos a terem contato com amostras autênticas da língua japonesa sem antes dominarem uma vasta gama de conhecimentos estruturais e de código escrito. Defendemos que é necessária uma mudança radical no olhar sobre língua e sobre o processo de ensino-aprendizagem de língua, saindo do contexto estruturalista e partindo para uma visão bakhtinia de gêneros textuais, de que é através deles que nos comunicamos em nossa vida prosaica e que nenhuma enunciação acontece no vazio social ou histórico; não há comunicação fora de contexto, unicamente através da combinação de estruturas gramaticais. Isso não significa dizer que conhecimentos estruturais não sejam necessários, mas que eles devem sujeitar-se a objetivos de fato comunicativos. Argumentamos que em um curso cujo eixo gire em torno de gêneros textuais, será possível preparar o aluno de forma pedagógica para o acesso a amostras autênticas de língua na forma de gêneros textuais mesmo nos níveis iniciais. Esse eixo possibilitará a reorganização inteligente dos conhecimentos de estrutura e de código de escrita do japonês, de forma que ele aprenda aquilo que de fato utilizará na sequência em situações muito mais próximas da realidade dos falantes. Ao mesmo tempo, todo uso da língua nesse contexto deverá ser mais significativo, o que sem dúvida auxiliará o aluno a desenvolver capacidades comunicativas linguísticas de forma mais duradoura e eficiente. Finalmente, também reportamos a experiência da aplicação desse modelo de curso para turmas iniciantes (nível 1), discutindo a efetiva viabilidade da implementação dessa mudança de olhar sobre a língua e o ensino de língua.