logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Frequência do item lexical: uso variável de /R/ em coda em Itanhandu- MG
Autor(es): Mariane Esteves Bieler da Silva. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Frequência de uso, Frequência de uso, Identidade
Resumo

Com base nos pressupostos teórico-metodológicos da Sociolinguística Variacionista (LABOV, 2006; 1972; 1999; 2001; 2010) e da Teoria dos Exemplares (PIERREHUMBERT, 2001a, 2001b, BYBEE, 2000) este trabalho tem como objetivo analisar uma possível correlação entre o uso variável de /R/ em coda silábica em Itanhandu, pequena cidade do interior sul-mineiro, e a frequência de uso da palavra em que tal elemento linguístico se realiza. A utilização dessas duas teorias no estudo realizado se fez possível porque ambas entendem a gramática como sendo construída a partir de diferentes experiências de uso com a língua, de modo que há um armazenamento dessas representações linguísticas, processo que é diferente para cada uma delas, dentro do sistema da língua. Na Teoria dos Exemplares, que também entende a língua como um sistema baseado no uso, a frequência de uso de um item lexical é a força que modela o armazenamento dessas formas linguísticas na memória. Dessa maneira, dentro da memória, palavras mais frequentes são encontradas em níveis de ativação mais altos, o que faz com elas sejam facilmente acessadas e utilizadas na produção da fala cotidiana (GOLGINGER, 1996, DAHAN et al, 2001, ABRAMOWICZ, 2007). Por isso, de acordo com Jurafsky el al, 2000, palavras bastante frequentes na língua tendem a sofrer processos linguísticos, como encurtamento da duração de algum segmento ou apagamento de algum elemento, mais do que itens menos frequentes. Alguns teóricos da Teoria dos Exemplares, como Pierrehumbert (2001a, 2012b) e Bybee (2001) têm dado destaque à importância da frequência dos itens lexicais nos processos de variação e mudança linguísticas. Esses autores entendem que tais processos são liderados por palavras de alta frequência. Buscando testar a proposição teórica de Bybee e Pierrehumbert, Labov (2003) fez um estudo sobre a anteriorização do núcleo dos ditongos posteriores /uw/, /aw/, /ow/, que são sons comuns em várias comunidades de fala dos Estados Unidos. Entretanto, nesse estudo, Labov não verifica uma correlação entre a variação investigada e a frequência de uso das palavras. O fato da palavra ser mais ou menos frequente parece ser indiferente à mudança sonora analisada. Almejando verificar o que postulam alguns teóricos da Teoria dos Exemplares e, usando para isso a metodologia da Sociolinguística Variacionista laboviana, foram consideradas na análise 12 entrevistas sociolinguísticas coletadas na comunidade de fala sob investigação. Além de permitir asserções sobre os usos linguísticos itanhanduenses, esse trabalho também visa a entender, mesmo que diminutamente, as relações identitárias e linguísticas em Itanhandu.