logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: ESSE versus ESTE em filmes brasileiros: substituição ou de especialização de formas?
Autor(es): HELCIUS BATISTA PEREIRA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave demonstrativos, demonstrativos, substituição de formas
Resumo

Em Pereira (2005) realizamos estudo que propôs a comparação do uso de demonstrativos no Português Brasileiro (doravante PB) e do Europeu (doravante PE). Naquela oportunidade trabalhamos com três tipos de materiais: filmes, notícias e tradução de dois romances escritos originalmente em Inglês. A partir dos dados da sincronia apontamos que a oralidade poderia ser caracterizada como de "substituição de formas", já que o uso de "este" se mostrou apenas residual nos corpora formados por Filmes. Neste ponto, discordamos da tese sustentada por Marine (2004) que realizou importante trabalho sobre os demonstrativos em perspectiva diacrônica. Para a pesquisadora, "esse" teria se especializado no uso endofórico e "este" no exofórico. Nosso argumento foi o de que os percentuais de "esse" em uso exofórico (41,5%) encontrados pela autora não permitiam sustentar a "especialização" de "este" nesse contexto e nos materiais que analisou. Além disso, seus dados históricos evidenciavam uma tendência de queda de uso de "este", na comparação do último período estudado pela pesquisadora: o salto temporal de 1960/70 para 1990. O objetivo de nossa pesquisa foi o de é contribuir para o debate sobre o processo de mudança dos demonstrativos, agora em perspectiva diacrônica. Sem esgotar a questão de qual é de fato a configuração sistêmica do PB Oral, propomos a análise mais aprofundada dos usos encontrados em filmes brasileiros. Assim, formamos um novo corpus com 4 filmes lançados nos anos 1950/60 para podermos compará-los aos materiais já recolhidos em Pereira (2005) – que analisou outros 4 filmes lançados anos 1990/2000. O trabalho procurou questionar se nesses tipo de corpora – que mimetizam a oralidade – há “substituição” ou "especialização”. Adicionalmente, procuramos explicar os sinais de mudança no uso dos demonstrativos que Pereira (2005) apontou. Os dados analisados neste trabalho confirmaram, em perspectiva diacrônica, os resultados encontrados por Pereira (2005) para filmes, constatando na amostra analisada a substituição de "esse" por "este", nos usos exofórico espacial e endofórico. Este processo atingiu inicialmente as retomadas textuais e somente mais tarde atingiu os contextos da chamada dêixis, momento em que a proximidade fonológica entre as duas formas demonstrativas, segundo hipótese de Matoso Camara (2000), pode ter favorecido a ampliação o uso de "esse".