logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Variação na linguagem oral da região de Dourados/MS: campo semântico-lexical de máquinas agrícolas
Autor(es): Ioneide Negromonte de Vasconcelos Rocha. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Lexicologia, Lexicologia, prática agrícola
Resumo

A língua de um povo é a forma mais representativa de seus traços culturais. É por meio dela que cada falante manifesta as crenças, os costumes, os valores, a religião, a visão de mundo. Com base nesse princípio, estudar o léxico de uma língua revela todo o conhecimento da história social do povo que a utiliza. Assim sendo, este trabalho, de natureza lexical, privilegia também a Teoria dos Campos Léxicos norteada por estudos teóricos como os de Biderman (1981, 1993, 1998, 1999, 2001); Bizzocchi (1997); Coseriu (1977); Haensch (1982); Saussure (1974). Nosso objetivo visa ao estudo da linguagem oral para identificar, comparar e analisar as principais semelhanças, divergências e convergências relacionadas ao campo semântico-lexical de máquinas agrícolas, presentes na fala de três grupos de informantes envolvidos com a teoria e/ou prática do cultivo da agricultura: acadêmicos em formação e docentes do curso de Agronomia e produtores rurais de área de agricultura da região de Dourados/MS. Parte-se de um corpus por amostragem de entrevistas orais com questões dirigidas sobre os procedimentos de práticas agrícolas cultiváveis na região; gravadas, transcritas e armazenadas. Essas entrevistas foram cedidas por 35 alunos graduandos, matriculados no curso de Agronomia, 05 professores atuantes em curso de Agronomia da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN) e Faculdade Anhanguera de Dourados, onde oferecem o curso de Engenharia Agronômica e mais 15 produtores rurais em agricultura. Nesse cenário, o léxico é considerado no processo de relação intercomunicativa entre os falantes e o meio em que se encontram, levando à identificação dos diferentes níveis de uso do léxico. Para atingir o objetivo, a análise foi possível a partir dessas entrevistas orais, gravadas e colhidas nas falas da realidade desses informantes, as universidades e o campo rural. Já a busca das lexias para análise dos dados foi realizada com o auxílio da Linguística de Corpus, utilizamos, portanto, o Programa Word Smith Tools para processamento desses dados. Assim, este trabalho propiciou compreender a linguagem e observar que uso das lexias do campo semântico de máquinas agrícolas como colhedora, colhedeira, colheitadeira, ou semeadeira, semeadora, ou plantadeira, plantadora são variações de uso independentes do grau de instrução, meio social do falante e que esses comportamentos linguísticos fazem parte da identidade do povo, frente à realidade agrícola que vivencia.