logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Os estados de alma do ator “Benjamim” em “O palhaço”: uma abordagem semiótica
Autor(es): TATIANA BARBOSA DE SOUSA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 29/02/2024
Palavra-chave semiótica, semiótica, ator
Resumo

Este trabalho analisa, por meio dos pressupostos teóricos da semiótica de linha francesa, criada por Greimas e, posteriormente desenvolvida por seus seguidores, a construção do ator "Benjamin" em “O Palhaço”, filme escrito e dirigido pelo também protagonista do filme, Selton Mello. O filme em questão narra a história do palhaço Pangaré, que, cansado da vida circense, passa por uma crise existencial quando percebe que não possui nem ao menos uma identidade. A vida de todos que convivem com Benjamin no Circo Esperança passa a ser afetada pela profunda tristeza e a oscilação dos estados de alma que tomam conta do ator, um palhaço que ri por fora e chora por dentro, até que seu pai, Valdemar, instiga-o a querer descobrir qual é seu verdadeiro lugar no mundo. Pangaré então, em busca de sua identidade, decide abandonar o circo deixando para trás toda a sua vida. No entanto, depois de buscar um novo rumo para sua vida, trabalhando numa loja de eletrodomésticos, como vendedor, não se encontra na vida fora de seu meio e retorna ao convívio da família circense no circo Esperança. Nosso objetivo aqui é analisar o ator Benjamin, no papel temático do Palhaço Pangaré descrevendo os papéis actanciais, temáticos e patêmicos do ator. Para isso, serão analisadas algumas cenas do filme, que, como texto sincrético, pressupõe a correlação entre o verbal e o visual. Assim, tal ator experimenta uma crise de identidade, que se reflete em seu corpo e ela será analisada por meio de sua gestualidade, do jogo cromático utilizado pelo enunciador e por sua inserção no espaço com vistas a analisar como ele é afetado pelos estados de alma que oscilam entre tristeza e alegria durante a trama. Dessa perspectiva, utilizamos conceitos da semiótica da ação, da semiótica das paixões e da semiótica sincrética, observando as relações que no texto se estabelecem entre o plano verbal e o plano visual na constituição da figura do ator.