logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A construção do ethos como estratégia argumentativa no artigo de opinião jornalístico
Autor(es): Ana Cláudia Ferreira da Silveira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 24/02/2024
Palavra-chave Argumentação e retórica, Argumentação e retórica, Artigo de opinião jornalístico
Resumo

O artigo de opinião jornalístico é caracterizado pela atividade argumentativa orientada à defesa de um ponto de vista acerca de temas atuais relativos ao comportamento humano, à economia, à política, etc. O orador-articulista, geralmente especialista no assunto, busca sustentar sua posição sobre o tema de modo a convencer o auditório-leitor. Sabe-se que a retórica é a arte de persuadir pelo discurso e o artigo de opinião jornalístico objetiva convencer e/ou persuadir o auditório-leitor sobre uma determinada opinião. Para tanto, são articulados os argumentos e mecanismos retóricos visando sustentar a tese do orador-articulista, possibilitando, assim, o processo persuasivo. Dentre as provas retóricas, tem-se o ethos – a imagem que orador cria de si por meio do discurso. No presente trabalho, privilegiar-se-á a análise do ethos como estratégia argumentativa no artigo intitulado “Para além do niilismo” (Folha de S.Paulo, dia 06.05.2013). Nesse texto, especificamente, o orador constrói uma imagem de pessimista e crítico (o último aspecto é marca frequente e preponderante no gênero em questão); tais características se evidenciam por meio da seleção e ordenação dos argumentos. Verificar-se-á como a articulação argumentativa e orientação retórica favoreceram a construção da imagem supracitada do orador e como tal imagem pôde constituir-se numa estratégia persuasiva. Assim, parte-se da compreensão de que o ethos é um meio empregado no processo persuasivo, assim como o pathos e o logos. O texto selecionado para análise foi escrito pelo filósofo, escritor e articulista Luiz Felipe Pondé – conhecido por possuir um estilo provocativo, polêmico, irônico e pessimista. A fim de proceder à análise, tomar-se-ão, como referenciais teóricos, os estudos referentes à retórica, desde Aristóteles até aos estudos argumentativos com Perelman e Olbrechts-Tyteca e os teóricos da contemporaneidade: Reboul, Meyer e Plantin. Espera-se, com esse trabalho, contribuir para as reflexões acerca do uso das provas retóricas e estratégias argumentativas presentes no gênero jornalístico, especialmente no que se refere à construção do ethos como instrumento de persuasão.