logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: O ensino de espanhol como língua estrangeira na visão de alunos ingressantes do curso de Letras: compreendendo o papel das crenças na formação docente
Autor(es): Ana Carolina Aparecida Marques Soarez. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Espanhol, Espanhol, Ensino e aprendizagem de línguas
Resumo

Este trabalho tem como objetivo apresentar alguns resultados iniciais obtidos por meio da pesquisa que investigou as crenças sobre o ensino de Espanhol como Língua Estrangeira (ELE) de estudantes ingressantes no curso de Letras em uma universidade pública paulista. O trabalho justifica-se pela necessidade de se conhecer mais sua experiência com a aprendizagem de línguas, em um momento anterior ao seu ingresso na universidade, além de conhecermos o que pensam em relação ao ensino, e explicitar quais as experiências de aprendizagem e representações que esses estudantes e futuros professores trazem sobre a língua na qual vão se licenciar. Nossos referenciais teóricos foram os trabalhos em Linguística Aplicada (LA) que contribuem para a área de Ensino e Aprendizagem de Línguas, tais como o de BARCELOS (2004) e VIEIRA-ABRAHÃO (2001). Utilizamos a definição de crenças de Barcelos (2006) para quem as crenças são como “construções da realidade, maneiras de ver e perceber o mundo e seus fenômenos, co-construídas em novas experiências e resultantes de um processo interativo de interpretação e (re) significação” (p.118). Nesse sentido, as crenças são consideradas dinâmicas e paradoxais, e por esse motivo, faz-se necessária uma intervenção no momento de formação do futuro professor de ELE a fim de que ele reflita sobre suas crenças e possa atribuir novos sentidos às suas experiências. Para que a realização do trabalho fosse possível, utilizamos entrevistas semi-estruturadas, questionários e autobiografia. Nossos instrumentos foram eleitos dentro de um paradigma qualitativo de pesquisa, especialmente em Linguística Aplicada. Os questionários foram utilizados como fonte primária de dados, e possuíam questões abertas e fechadas, as autobiografias foram solicitadas aos participantes a fim de compreendermos melhor o seu processo de aprendizagem e contato com a língua estrangeira estudada, e as entrevistas semi-estruturadas consideradas um instrumento precioso para as pesquisas qualitativas possibilitaram uma maior interação entre pesquisadora e participantes.