logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Uma abordagem para o estudo da relação entre as noções de gêneros e tipos do discurso
Autor(es): Gustavo Ximenes Cunha. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave tipos de discurso, tipos de discurso, tipo narrativo da reportagem
Resumo

Este trabalho apresenta uma abordagem teórico-metodológica para o estudo da relação entre gêneros do discurso e tipos do discurso. Sua origem está no que considero um problema de natureza teórica para os estudos da linguagem que se preocupam com o modo como os interactantes elaboram e interpretam produções discursivas. Esse problema diz respeito à hipótese relativamente consensual de que os gêneros (textuais/discursivos) dizem respeito a formas relativamente estáveis de enunciados sócio-historicamente constituídos, ao passo que os tipos (textuais/discursivos) são sequências textuais com características bem definidas, que entram na composição de exemplares de todos os gêneros. Desenvolvida em Cunha (2013), a abordagem que apresento nesta comunicação parte da hipótese oposta de que essas noções de gênero e tipo são de tal modo imbricadas que cada gênero possui tipos específicos. Na abordagem, o tipo de discurso é concebido como uma representação referencial típica sobre o mundo do discurso, a qual é fortemente impactada pelo gênero do discurso ou pela representação referencial sobre o mundo em que o discurso se insere. Esse modo de conceber os tipos busca dar conta do fato de que eles são tão sócio-historicamente constituídos quanto os gêneros, cuja estrutura composicional integram. Assim, o tipo narrativo da reportagem é diferente do tipo narrativo da fábula, por exemplo, já que jornalista e fabulista não mobilizam os mesmos recursos referenciais. Em outros termos, cada gênero define os episódios característicos do seu tipo narrativo, uma vez que em cada gênero há uma maneira característica de narrar. Assim, diferentemente do que postulam abordagens contemporâneas sobre os tipos de discurso, os tipos não são transversais em relação aos gêneros, não se sustentando a ideia de que em todo e qualquer gênero o tipo narrativo, por exemplo, caracteriza-se como um mesmo conjunto de traços linguísticos ou referenciais. Para verificar a validade e o alcance da hipótese que subjaz à abordagem defendida neste trabalho, forneço, inicialmente, evidências de que as teorias que concebem os tipos e as sequências como esquemas (linguísticos ou referenciais) universais não resistem à análise de uma sequência narrativa simples. Após evidenciar a inconsistência dessas teorias, proponho, em seguida, a abordagem mencionada, que tem como objetivos contornar os problemas inerentes a elas e permitir elucidar aspectos ainda desconhecidos do funcionamento dos gêneros e do modo como deles nos valemos para alcançar fins específicos. Neste trabalho, evidências a favor da abordagem delineada serão buscadas em estudo sobre o tipo narrativo do gênero reportagem.