logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Da narração intimista ao registro histórico: marcas identitárias no romance Um defeito de cor de Ana Maria Gonçalves
Autor(es): Maria Carolina de Godoy. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave literatura afro-brasileira, literatura afro-brasileira, narração
Resumo

O romance Um defeito de cor da escritora Ana Maria Gonçalves, publicado em 2006 pela editora Record, nasceu na blogosfera, segundo as anotações da autora que reconhece a importância desse espaço para a divulgação inicial de seu trabalho e reconhecimento posterior pelo mercado editorial. Bem recebido pela crítica, ganhador do prêmio Casa de las Américas em Cuba e eleito como “melhores da década”, segundo o jornal O Globo, esse romance marca a história da literatura afro-brasileira não apenas pelo registro da trajetória de Kehinde, protagonista que sintetiza tradições e contradições provenientes do encontro entre culturas e histórias individuais, mas também pelas imagens literárias presentes discursivamente nesse percurso. O objetivo deste trabalho é discutir, de um lado, aspectos gerais dessa obra e sua recepção crítica; de outro, falar sobre a importância da narração em primeira pessoa para a (re)construção da identidade da narradora, seja pela recuperação das imagens de sua infância em Savalu, reino de Daomé (Benin), seja pelo registro de impressões dos fatos históricos relacionados à Revolta dos Malês narrados no romance. A pesquisa insere-se em trabalho mais amplo intitulado “Literatura afro-brasileira e sua divulgação em rede” que discute o conceito de literatura afro-brasileira e baseia-se em estudos de críticos como os de Eduardo de Assis Duarte (2011) em seu trabalho Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica, no que se refere aos pressupostos da literatura afro-brasileira; Stuart Hall (2003) em A identidade cultural da pós-modernidade e Homi K. Bhabha (2013) O local da cultura para refletir sobre a construção da identidade; trabalhos críticos sobre a obra estudada como a análise de Jean-Yvés Mérian (2008) “O negro na literatura brasileira versus uma literatura afrobrasileira: mito e literatura”, além de estudos da teoria narrativa e do narrador.

(Apoio: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e Fundação Araucária – Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná)