logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A função argumentativa de projeções metafóricas: um estudo de verbos de movimento polissêmicos em inglês
Autor(es): Rosana Ferrareto Lourenço Rodrigues. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave projeções metafóricas, projeções metafóricas, verbos de movimento em inglês
Resumo

Projeções metafóricas têm efeito retórico, porque transmitem valores. Por exemplo, dizer que “Mary threw the job out of the window”, assim como dizemos “Mary threw the stone out of the window”, consiste em projetar uma história espacial sobre uma não espacial e é mais concreto do que dizer “Mary quit her job”. Perelman e Olbrechts-Tyteca (2005) chamariam essas projeções com efeito retórico de recursos de presença. O objetivo deste trabalho é fornecer uma explicação para a funcionalidade retórica de projeções metafóricas produtivas a partir de contribuições da Linguística Cognitiva. Entendidos a partir do modelo de integração conceptual, os verbos metaforizados selecionados para esta análise são representativos das principais direções da conceptualização do movimento – para frente (go, run); para trás (bring, pull); para cima (raise, rise); e para baixo (fall, drop). Por apresentarem alta taxa de adaptação polissêmica, acabam por constituir um repertório gramatical estabelecido via parábola. Outra conclusão a que podemos chegar, revelada também na descrição da polissemia de alguns verbos, é que a interdiscursividade e a argumentatividade devem ser consideradas durante as interações comunicativas, para a compreensão e a produção orais ou escritas, no que diz respeito ao léxico e ao significado. O uso dos verbos de movimento go, run e fall, colocados com um adjetivo para expressar a ideia de “tornar-se/mudar para/ mudar de estado”, ilustra essa questão. Verificamos no corpus usos aparentemente indiscriminados entre fall silent e go silent para significar “silenciar-se”; go deep, fall deep e run deep para se dizer “ir fundo”. As análises mostram que a intenção do produtor do texto e seu alcance argumentativo para persuadir e/ou convencer é que orientam a escolha de um ou outro verbo de movimento, o que intensifica a ação e serve como recurso de presença, revelando que os sentidos estão à mercê da argumentação arquitetada em cada enunciado.