logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Mesclagem (Blending) e esquemas de imagem na formação e extensão semântica de phrasal verbs da língua inglesa
Autor(es): Sarah Lúcia Alem Barbieri Rodrigues Vieira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 24/02/2024
Palavra-chave blending (mesclagem), blending (mesclagem), phrasal verbs
Resumo

Segundo Bybee (2010), a frequência com que fazemos uso de palavras, repetidamente durante nossas interações no dia a dia, está diretamente relacionada às mudanças que ocorrem no sistema linguístico. Se fizermos uma análise diacrônica dessas mudanças podemos perceber que o resultado é a criação de estruturas linguísticas novas, emergentes. Nesse sentido, a coocorrência frequente de duas ou mais unidades lexicais (ULs) no eixo sintagmático produzirá, em um primeiro momento, uma colocação, termo que tem sido muito usado no âmbito do ensino-aprendizagem de uma LE. No caso das colocações, cada UL preserva sua identidade, ou seja, o pareamento forma-significado. Quando essas colocações desenvolvem uma relação sequencial sintagmática, essa sequência passa a ser acessada como uma única UL, processo cognitivo denominado chunking. A força dessas relações sequenciais é determinada pela frequência com que essas palavras aparecem juntas. O objetivo deste trabalho é demonstrar como os esquemas de imagem e a mesclagem (“blend”) são ferramentas cognitivas fundamentais tanto na formação dos phrasal verbs da língua inglesa quanto na extensão semântica dessas ULs complexas. Os phrasal verbs têm como ponto de partida uma colocação (verbo + partícula) de sentido literal que, pela frequência de uso, acaba sendo submetida a uma mesclagem (desintegração e posterior integração conceptual) dando, assim, origem a um produto emergente denominado chunking. A posterior extensão semântica dos phrasal verbs é resultado do emprego dessas ULs complexas em domínios conceptuais diferentes, mas sempre preservando o esquema de imagem que lhes deu origem (VIEIRA, 2013), como podemos observar nos contextos de uso abaixo.

(*) Soon the freezing weather will break up the soil. (to (cause to) divide into smaller pieces) – colocação (verbo + partícula)

(1) Jack and Mary have broken up. (to cause to separate)

(2) The crowd broke up. (to cease to be together)

(3) When does your school break up? (to end for a Holiday)

No âmbito da semântica cognitiva, propõe-se analisar a polissemia dos phrasal verbs em termos de uma rede conceptual de sentidos distintos, mas relacionados, que, juntos, formam uma única categoria de sentidos mais prototípicos (centrais) e menos prototípicos (periféricos). A fundamentação teórico-metodológica é embasada na Teoria da Integração Conceptual de Fauconnier & Turner (2001, 2003); Teoria da Desintegração Conceptual proposta por Hougaard (2005) e revista por Bache (2005) e Teoria dos Esquemas de Imagem de Lakoff & Johnson (1999) e Hampe (2005).