logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Entre o público e o privado: discurso sobre a gravidez na adolescência
Autor(es): Cleunice Vaz, Cleunice Vaz. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave FAMÍLIA, FAMÍLIA, DISCURSO
Resumo

A família, tal como se constitui hoje, passou por profundas mudanças estruturais e culturais. Na Idade Média e no início dos tempos modernos, principalmente nas classes populares, as famílias não passavam de aglomerados de pessoas vivendo juntas, contribuindo para o trabalho coletivo, sem preocupações com laços sanguíneos ou afetivos. O discurso religioso “crescei e multiplicai-vos” imperava sobre as classes sociais. A dicotomia público/privado nasceu pela necessidade de regular as relações entre Estado, economia e população (sociedade civil, família). As funções atribuídas ao privado (cuidados de higiene, saúde da família, educação sexual) permaneceram associadas ao domínio feminino e às suas propriedades maternais e afetivas. Podemos dizer que, na maioria dos casos em que uma adolescente concebe um filho, a mãe toma para si uma carga de culpa injustificável. A esfera pública, tomada pela produção industrial e pela cidadania política, ficou destinada ao homem, lugar do chefe de família, favorecendo a supremacia masculina. Não rara às vezes, esse sujeito “se anula” diante da responsabilidade de orientação sexual dos filhos. As questões relevantes ao planejamento familiar sempre existiram, mas tornou-se preocupante com as altas taxas de natalidade no século passado. A explosão demográfica e, consequentemente, o aumento da pobreza exigiu uma nova maneira de se planejar a família. Este trabalho analisa os cartazes do governo federal sobre planejamento familiar e gravidez na adolescência, pelo viés da Análise de Discurso de linha francesa, com os pressupostos teórico-metodológicos de Michel Pêcheux e Eni Orlandi, buscando compreender os efeitos de sentidos que surgem no entrecruzamento do texto verbal e não verbal (imagem) com o interdiscurso (memória), percebendo como o discurso público invade o campo privado no que diz respeito à constituição familiar, pois mesmo sendo a família uma instituição privada, ela não está dissociada da ordem e da organização pública e política que regula as ações dos sujeitos.