logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Sistematização e formalização dos verbos pronominais com vistas ao refinamento da base de verbos da WordNet.Br
Autor(es): Aline Camila Lenharo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave verbos pronominais, verbos pronominais, wordnets
Resumo

Este trabalho, sintetizando alguns dos principais pontos da pesquisa de doutorado, apresenta os resultados obtidos ao longo dos quatro anos de estudo. A partir da delimitação das dificuldades enfrentadas durante a investigação dos verbos pronominais do português – decorrentes, em parte, da própria complexidade do sistema de verbos do português e, em parte, devido às descrições parciais e, muitas vezes, inconsistentes apresentadas pelas gramáticas e pelas obras lexicográficas da língua (que apresentam (a) diferentes rótulos, tais como “verbos reflexivos”, “verbos pronominais”, “verbos ex-ergativos” e “verbos obrigatoriamente reflexivos”, entre outros, e (b) parcos exemplos ilustrativos, o que impossibilita uma adequada comparação entre os diferentes estudos) –, este trabalho, propondo uma caracterização lexicogramatical dos verbos pronominais, possui três objetivos: (i) sistematizar nove diferentes subtipos desse tipo de verbo, a saber: verbos+SEanticausativo, verbos+SEestilístico, verbos+SEex-ergativo, verbos+SEindeterminado, verbos+SEinerente, verbos+SEmédio, verbos+SEpassivo, verbos+SEquase-inerente e verbos+SEreflexivo, identificados a partir dos diferentes tipos de clítico SE; (ii) estabelecer uma comparação entre diversas classificações propostas – por exemplo, (a) os verbos “com pronomes átonos fossilizados” (ROCHA LIMA, 1984), os “essencialmente pronominais” (D’ALBUQUERQUE, 1984), os “intrinsecamente pronominais” (PERES; MÓIA, 1995) e os que exprimem “sentimentos” (BECHARA, 2009), entre outros, correspondem aos verbos pronominais do tipo [verbo+SEinerente] e (b) os verbos “acidentalmente pronominais” (D’ALBUQUERQUE, 1984), os que podem ter um “argumento pronominal” de acordo com o contexto (PERES; MÓIA, 1995), os “empregados na forma reflexiva propriamente dita” (BECHARA, 2009) e os denominados de “pronominais acidentais” (ALMEIDA, 1999), entre outros, correspondem aos verbos pronominais do tipo [verbo+SEreflexivo]; (iii) estabelecer uma proposta de formalização desses diferentes subtipos de verbos pronominais com base nos pressupostos teóricos do Funcionalismo (especialmente o da corrente holandesa), com vistas ao tratamento desse conhecimento linguístico dentro de contextos linguístico-computacionais, como o da implementação/refinamento da base de verbos da WordNet.Br, uma base de dados lexicais que busca representar o léxico mental do falante do português do Brasil em termos de conjuntos de sinônimos, os synsets, e das relações taxonômicas que se estabelecem entre eles, como, por exemplo, o synset formado pelos verbos {afeiçoar-se, apaixonar-se, cativar-se, embeiçar-se, enamorar-se, enrabichar-se, namorar-se}, que atualiza o sentido de “começar a experimentar sentimentos de amor [voltado para alguém]” e estabelece uma relação de antonímia com o synset unitário {desapaixonar-se}, que atualiza o sentido de “livrar-se da paixão”. Espera-se, desse modo, contribuir com dois domínios de pesquisa complementares, o linguístico e o linguístico-computacional. (Apoio: CNPq – Processo 142049/2010-7).