logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Orações subordinadas em Karitiana: predicação secundária e as orações relativas
Autor(es): Ivan Rocha da Silva. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave Orações Subordinadas, Orações Subordinadas, Predicado Complexo
Resumo

O objetivo geral deste trabalho é investigar as orações subordinadas em Karitiana (língua do ramo Arikém, família Tupi, 400 falantes, falada em Rondônia, Brasil). Como objetivo específico, vamos descrever e analisar com mais atenção a predicação secundária nesta língua, levando em conta as noções de predicados complexos discutidas por Barbosa (2008, 2012). Nossa hipótese é de que a esta língua apresenta uma estrutura com estratégia de relativização (cf. Storto, 2012 e Vivanco, 2013) para descrever predicados secundários. Ressaltamos que vamos discutir neste trabalho os predicados secundários orientados para o sujeito, para o objeto direto e para o objeto indireto. Como metodologia de trabalho, utilizamos o método de elicitação controlada de dados de modo que foi apresentado aos falantes nativos de Karitiana um conjunto de sentenças pré-elaborado em português para serem traduzidas. A partir dos resultados obtidos, serão reelaborados novos testes diretamente na língua Karitiana para serem submetidas ao julgamento de gramaticalidade com os falantes. A seguir apresentaremos dois exemplos do primeiro teste:

Verbo transitivo com predicado secundário orientado para o objeto direto

(1)Yn∅-naka-’y-t [‘ip[a-boj]].

Eu 3-decl-comer-nfut [peixe [pasv-jogar fora]]

‘Eu comi o peixe (que foi) jogado fora.’

Verbo bitransitivo com predicadob secundário orientado para o objeto indireto

(2)João ∅-naka-hit-∅ [ asyryty som]-ty pikom.
João 3-decl-dar-nfut [banana avermelhar]-obl macaco
João deu a banana (que estava) madura para o macaco.

Em (1), temos a oração matriz e em seguida a oração emcaixada (predicado secundário) que está sendo representada entre colchetes. O objeto da oração matriz ‘ip ‘peixe’ funciona como o sujeito da oração encaixada, cujo verbo boj ‘jogar fora’ é realizado no fim da oração. Sabemos que essa palavra é um verbo porque além de estar em uma posição que pode ser ocupada por um verbo, ela está marcada por um morfema de passiva {a-}. Storto (1999, 2012) mostra que verbos em Karitiana e em orações subordinadas sempre têm a ordem verbo-final (SOV ou OSV). Em (2), o objeto asyryty ‘banana’ e o verbo som ‘avermelhar’ é marcado com o morfema oblíquo {-ty}, assim, sabemos que ambos estão formando uma unidade sintática. Como quadro-teórico, utilizaremos os trabalhos de Pylkkänen (2008), Levin e Rappaport Hovav (1995) e Barbosa (2008, 2012).