logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A construção do ethos discurso e da cena de enunciação na propaganda institucional
Autor(es): Claudia Pereira de Souza. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Propaganda Institucional, Propaganda Institucional, Ethos Institucional
Resumo

O presente trabalho insere-se na linha de pesquisa Análise do Discurso de linha Francesa e tem como propósito principal discutir a construção da cenografia e do ethos discursivo na propaganda institucional. Apresenta-se como corpus uma propaganda institucional do Governo Federal do Brasil – Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome "Bolsa Família" publicada na Revista Veja em 29 de outubro de 2003. A pesquisa objetiva-se nesta análise a descobrir a formação ideológica produzida pelo Governo Federal por meio da análise da cenografia e do ethos institucional apresentando na primeira propaganda governamental sobre o programa Bolsa Família. Este trabalho também busca estudar como o Governo Federal do Brasil constrói e projeta sua imagem, ou seja, seu ethos no anúncio publicitário que explicita uma estreita relação com seus coenunciadores. O ethos enquanto imagem de si no discurso segundo Maingueneau é argumento que estabelece um contrato entre o enunciador e o coenunciador na dimensão interdiscursiva. Estudar a imagem institucional construída pelo enunciador no discurso publicitário é importante para compreendermos que a explicitação do ethos é uma ótima estratégia da linguagem publicitária, pois esta é um lugar privilegiado para manifestações de ideologias. Estudaremos também como que é composta a cenografia dentro desta propaganda, quais os recursos que esta utiliza para compor as cenas que englobam esta propaganda, e o que lhe confere a credibilidade às enunciações. O programa Bolsa Família, criado por medida provisória em outubro de 2003, a partir da integração de iniciativas anteriores de transferência de renda para a população carente, tem-se consolidado como um dos pilares da política de combate à pobreza no Brasil no Governo do Partido dos Trabalhadores. As transferências de renda condicionadas têm como característica central a combinação do benefício em dinheiro. Pretendem, assim, articular uma política compensatória de curto prazo – o benefício monetário – a objetivos estruturais de longo prazo – o rompimento dos círculos viciosos de transmissão de gerações de pobreza, por meio do aumento do capital humano das gerações futuras.