logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Referencialidade e constituição interna do sintagma nominal em construções de topicalização no PE
Autor(es): Mariana Delesderrier da Silva. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Topicalização, Topicalização, Português Europeu
Resumo

O presente trabalho busca refinar a análise das construções de topicalização, uma das estratégias de construção de tópico marcado, no Português Europeu, descrevendo a constituição interna do sintagma nominal, que ocupa a posição de tópico, bem como a sua referencialidade, por meio da combinação dos traços semânticos animacidade e especificidade. As construções de tópico marcado definem-se por apresentar, na periferia esquerda da sentença, um sintagma sobre o qual se faz uma proposição por meio de um comentário. Neste contexto, as topicalizações caracterizam-se pela existência de correferencialidade entre o tópico e uma categoria vazia no interior do comentário, como se verifica em (1): [A tudo]i me sujeitarei [__]i. (Terra Mater, Augusto Lacerda, 1904). Quanto ao aporte teórico-metodológico, o trabalho associa o estudo da mudança descrito por Weinreich, Labov e Herzog (2006[1968]) à Teoria de Princípios e Parâmetros proposta por Chomsky (1981) e segue os passos da Sociolinguística Variacionista (Labov 1994). O corpus constitui-se de 10 peças teatrais escritas por diferentes autores e segmentadas em dois períodos: primeira e segunda metade do século XX. A análise mostra que, quanto à animacidade, o SN tópico é preferencilamente [- animado] em ambos os períodos. Já quanto à especificidade, há preferência por SN [+ específico], havendo, porém, a possibilidade de o tópico ser [– específico], seja o referente [-animado] ou [+ animado]. No que diz respeito à constituição interna do SN, verifica-se uma mudança de comportamento: na primeira metade do século XX, observa-se a preferência pela margem não preenchida e pelo preenchimento à esquerda. Já na segunda metade, há maior frequência de margem preenchida à esquerda e preenchida à esquerda e a direita. Estes resultados revelam haver uma correlação entre as variáveis focalizadas: a preferência por margens preenchidas na segunda metade do século XX decorre do aumento de ocorrências de SNs [+ específicos] nesse mesmo período.