logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Ter e haver + particípio passado: um caso de mudança no português arcaico
Autor(es): Carolina Salgado Lacerda Medeiros. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave mudança linguística, mudança linguística, tempos compostos
Resumo

O presente trabalho apresenta um estudo diacrônico acerca das estruturas compostas formadas com ter e haver + particípio passado em Português. O estudo investiga como e em que contextos tais estruturas passaram de construções transitivas-predicativas a construções de tempo composto perfectivo, tratando a mudança de ter e haver de verbos plenos a auxiliares como um caso de gramaticalização, com base no quadro de Roberts & Roussou (2003). O interesse pelo estudo se deve ao fato de existir, em Português Arcaico (PA), dois tipos de construções com particípio: (1) construções transitivas-predicativas formadas por ter e haver, que funcionam como verbos plenos, mais um PTP que se comporta como um adjetivo, concordando em gênero e número com o complemento direto de ter/haver, que, após um processo de mudança, dão origem à (2) construções de tempo composto perfectivo formadas por ter e haver, que funcionam como auxiliares, mais um PTP verbal. Com o intuito de investigar a formação deste segundo tipo de construção, neste trabalho procuramos identificar os contextos que levaram à mudança de ter/haver de verbos plenos à auxiliares, descrevendo o processo de gramaticalização pelo qual passaram, bem como descrever os contextos linguísticos que atuaram na passagem do PTP de adjetivo a verbo. A partir de textos portugueses dos séculos 13 ao 16 e de uma perspectiva teórica formal sobre o processo de gramaticalização (ROBERTS & ROUSSOU 2003), esta Dissertação mostra que o processo de mudança que culminou na emergência dos tempos compostos em Português envolve um processo de simplificação estrutural. Trabalhamos com a hipótese de que as construções de ter/haver + PTP sofrem a perda de uma operação de movimento sintático, a partir do que são reanalisadas como construções de tempo composto. A partir disto, ter e haver são gramaticalizados em auxiliares e o PTP é reanalisado como um verbo. Os resultados sugerem, com base na análise de elementos morfossintáticos tais como a presença ou ausência de marcas flexionais de concordância entre o PTP e o complemento e a fixação da ordem, que tal mudança tenha ocorrido já no século 13.

 

Referências bilbiográficas
ROBERTS, I. & ROUSSOU, A. Syntactic change: a minimalist approach to grammaticalization. Cambridge University Press, 2003.