logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Como anda a leitura na escola pública de Três Lagoas?
Autor(es): Elizângela Emidio de Souza, Elizângela Emidio de Souza. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave leitura, leitura, leem
Resumo

Se a falta de leitura, a título de hipótese, já é um problema sério em se tratando da educação brasileira, a leitura crítica, então, deve ser artigo de luxo. Diante destas hipóteses, este trabalho pretende mostrar um levantamento do número de alunos e professores que atuam no ensino médio e fundamental nas escolas públicas municipais, estaduais, federais e escolas particulares que servem Três Lagoas e em como leem, quando leem e os motivos que os levam a ler ou não ler. Após o levantamento, a pesquisa será delimitada a três escolas públicas da cidade, buscando-se verificar se os professores que as servem apresentam ou não estratégias de estímulo e de leitura, ao mesmo tempo em que se levantará se seus alunos se sentem motivados ou recebem estratégias de leitura de textos literários ou não. Dentre as perguntas, por meio de questionários quantitativos e qualitativos, pretende-se analisar as respostas que darão um perfil dos professores e alunos, verificando-se as causas da leitura, quando esta existe, a frequência com que leem, quando leem, o que leem, se leem, porque leem, como leem, se há um ritual no processo de leitura ou se seguem uma estratégia na apreensão do sentido ou sentidos do texto. O seu acesso a leitura, seu nível de compreensão do que leem, o que mais se interessam, o que leem por obrigação para cumprir as exigências da disciplina e o que leem por prazer. Mediante os resultados, se pretende sugerir os níveis de leitura de um texto, propostos pela semiótica da Escola de Paris, como alternativa para uma possível leitura crítica tanto para os professores quanto para os alunos das três escolas selecionadas para a realização da pesquisa, com base na leitura de “Elementos de Análise do discurso” de José Luis Fiorin (1989) e “Semiótica do Texto de Diana Luz Pessoa de Barros (2005). A metodologia adotada insere-se nas “Três Metodologias” propostas por Elizabeth Teixeira (2011) no quesito pesquisa quantitativa e ou qualitativa. A base teórica deste trabalho sugere a semiótica de linha francesa como instrumental para se motivar os professores e alunos segundo estratégias para a leitura de textos que proporcionarão um maior aprofundamento de texto se aguçando os sentidos.