logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: O programa sala de leitura e as histórias de leitura de alunos de Ciclo II numa escola estadual
Autor(es): Queila da Silva Gimenez. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Leitura, Leitura, Letramento
Resumo

A pesquisa em questão objetiva analisar as histórias e as práticas de leitura de alunos de uma escola estadual no interior paulista, a qual conta com a presença do Programa Sala de Leitura, implantado pelo governo do Estado de São Paulo no ano de 2009. Para desenvolver tal investigação, analiso os registros de empréstimos ocorridos nesta Sala de Leitura, durante o ano letivo de 2013. Além disso, são efetuadas interações, por meio de entrevistas, com as professoras responsáveis pela Sala de Leitura e com os alunos, selecionados pela assiduidade à sala computada pela lista de retiradas e acessos a materiais. Sendo assim, mesmo que ainda em processo inicial, procedo a uma análise dessas entrevistas e registros. A investigação das histórias e experiências de leitura dos participantes tem se dado de forma qualitativa, fundamentada na concepção teórico-metodológica da pesquisa narrativa de Clandinin e Connelly (2011), para quem “pesquisa narrativa é uma forma de compreender a experiência”. A fim de se chegar à compreensão a que se referem os autores canadenses, apoio-me na hermenêutica filosófica de Gadamer (1997), procurando analisar em que medida essas experiências de leitura podem (ou não) estar relacionadas à presença da Sala de Leitura no cotidiano da escola e de que forma elas contribuem (ou não) para a construção das identidades que se constituem dentro daquele espaço escolar. A pesquisa em andamento conta, entre outras, com uma base teórica que se apoia nos estudos sobre o letramento, desenvolvidos por Soares (2006; 2010) e Kleiman (2010), nos registros sobre experiências de leitura entre jovens em situação de risco em cidades francesas, realizados pela antropóloga Michèle Petit (2008; 2010) e nas contribuições de Roger Chartier (1996; 1999) sobre leitura, livros e práticas culturais. Quanto às questões envoltas na constituição das identidades dos participantes desta pesquisa e a relação entre suas construções identitárias e o papel da leitura, recorro aos escritos de Bauman (2005) e Hall (2011; 2013), a respeito das concepções e deslocamentos de identidade nas sociedades pós-modernas. Tendo em vista o exposto, o embate entre os dados e a teoria a que tenho recorrido a respeito do tema, tem se evidenciado, inicialmente, a importância do papel de uma figura inspiradora e motivadora na criação de hábitos de leitura e num conflito entre o vasto e variado material que vem constituindo o acervo da Sala de Leitura e as expectativas de leitura de alunos em fase inicial da adolescência.