logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A ficcionalização da história em narrativas de Teolinda Gersão e Mia Couto
Autor(es): Daniela Aparecida da Costa. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave Ficcionalização da História, Ficcionalização da História, Portugal e Moçambique
Resumo

A presente proposta de comunicação focaliza interações entre Literatura e História em narrativas de dois escritores contemporâneos das literaturas de língua portuguesa: Teolinda Gersão (Portugal) e Mia Couto (Moçambique). O corpus de análise é constituído dos romances: Paisagem com mulher e mar ao fundo, de 1982, e A árvore das palavras, de 1997, de Gersão e Terra sonâmbula, de 1992, Vinte e zinco, de 1999, e O último voo do flamingo, de 2000, de Couto. O estudo, por meio da análise do corpus literário escolhido, confronta os diferentes olhares sobre o passado recente das duas nações veiculados pelos romances de Teolinda Gersão e Mia Couto. A hipótese é a de que os dois autores utilizam, como primordial técnica de composição narrativa, nas obras em análise, as interações entre ficção e história de modo a transfigurar a matéria histórica no corpo ficcional. Além do procedimento de tomada da matéria histórica, busca-se, com o processo investigativo, mostrar que Gersão e Couto aproximam-se por fazerem uso de uma escrita intimista: ao lado do factual, há o aflorar de subjetividades que refletem os dramas humanos individuais de personagens que, metonimicamente, refletem o coletivo. Para o desenvolvimento da pesquisa são tomados como aporte teórico os seguintes grupos de textos: a) sobre a interação entre literatura e história e o problema da representação da realidade ao longo da crítica literária; b) teóricos dos Estudos Culturais, para a compreensão da configuração da literatura em países de independência recente, como é o caso de Moçambique; c) teóricos-críticos sobre a constituição e principais tendências das literaturas de língua portuguesa, em especial, a produção de Moçambique com Mia Couto e de Portugal pós-Revolução dos Cravos, com destaque para a obra ficcional de Teolinda Gersão; d) teóricos para a compreensão dos conceitos de memória, história e ficção; e) proposições da Teoria da Narrativa, para a análise das categorias narrativas, em especial o tempo e o espaço; f) críticos sobre a história recente de Portugal e Moçambique.