logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: O estranho caso de Robert Louis Stevenson: luz e sombra na obra de um construtor de faróis
Autor(es): Ana Julia Perrotti-Garcia. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave corpus paralelo, corpus paralelo, dualidade
Resumo

Contextualização: Desde a publicação de The Strange Case of Dr. Jekyll and Mister Hyde (doravante referida como J&H), de Robert Louis Stevenson em 1886, a história do respeitável médico que se transforma em “uma figura ignóbil” já foi traduzida, adaptada e reproduzida em todos os continentes do mundo. O livro serviu de inspiração para a realização de diversos filmes de cinema, desenhos infantis, adaptações para televisão, para diferentes públicos. Em língua portuguesa, a repercussão do livro de Stevenson não foi menor. Um levantamento prévio concluiu que existiam pelo menos 95 traduções diferentes de J&H publicadas no Brasil em formato de livro até o momento da conclusão deste texto. Objetivo geral: Levantar quais são as traduções da obra J&H em português do Brasil, em formato livro, consideradas mais representativas de cada década. Objetivos específicos: Após detectar as imagens representativas de luz e sombra no texto original em inglês, analisar sua ocorrência nos textos em português, procurando classificar quais estratégias de tradução foram utilizadas. Quadro teórico-metodológico: Entre todas as traduções catalogadas pela pesquisadora até o presente momento, um total de nove títulos foi selecionado. Uma vez definidos os objetos de estudo, o capítulo 1 de cada um dos nove livros selecionados foi convertido em arquivo formato .doc e o texto dos capítulos foi alinhado segundo Berber Sardinha (2000). Muitos críticos e estudiosos da obra de Stevenson apontam a presença de imagens ligadas à luz e à sombra em seus escritos. Como já era de se esperar pela trama central, as dualidades bem/mal e claro/escuro estão presentes com frequência na obra original J&H. Para analisar se tais imagens foram mantidas por diferentes tradutores do livro, após selecionar uma obra traduzida considerada mais representativa de cada década, desde a primeira tradução publicada no Brasil, até o momento, utilizamos os recursos da Linguística de Corpus para alinhar, comparar e cotejar diferentes excertos das traduções. Como os textos foram organizados cronologicamente, foi possível fazer também uma análise diacrônica das traduções. A análise foi feita levando-se em conta as estratégias de tradução catalogadas por Baker, M. (2011) e os procedimentos técnicos da tradução de acordo com a nomenclatura proposta por Barbosa, H.G. (2004).