logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A categoria verbal na perspectiva semântico-enunciativa: caminhos possíveis para uma abordagem operatória da sintaxe
Autor(es): SORAIA ASSIS GARCIA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Linguística da Enunciação, Linguística da Enunciação, Verbo Cortar
Resumo

A proposta desta comunicação é apresentar resultados parciais da pesquisa sobre a categoria verbal do ponto de vista semântico-enunciativo. O verbo tem sido definido, quase sempre, ora por meio de definições ditas "semânticas", ora por meio de suas características morfológicas e funções sintáticas, sem que os domínios morfossintático e semântico-enunciativo se vejam integrados. Ainda que se admita a participação do contexto na construção do sentido que o verbo adquire no enunciado, não se explica como tais interações estão vinculadas a seu funcionamento semântico-enunciativo. Normalmente, o verbo é associado ora a um valor de base primeiro, ora a uma construção de base, e as funções sintáticas associadas aos elementos linguísticos com os quais os verbos produzem proposições têm sido usadas como critérios de classificação. Afastando-nos dessa concepção, adotamos como referencial teórico a Teoria das Operações Enunciativas (CULIOLI, 1990, 1999a, 1999b; DE VOGÜÉ, FRANCKEL, PAILLARD, 2011), na qual as construções sintáticas são vistas como fatores de variação, sendo nosso interesse determinar a invariância semântica que, do ponto de vista da identidade própria a um determinado verbo, justifica as variações de sentido existentes em suas diferentes construções. Escolhemos enunciados envolvendo o verbo CORTAR como objeto de análise, os quais são observados a partir de duas premissas: a unidade linguística é dotada de uma identidade semântica de natureza relacional; a estabilidade semântica se delineia nas interações dialéticas entre a unidade linguística e os contextos enunciativos que ela evoca. Ao confrontar enunciados em que CORTAR esteja presente, buscaremos suas regularidades de funcionamento, procurando entender de que modo ele determina semanticamente os elementos linguísticos com os quais se combina e, ao mesmo tempo, como tais elementos fazem com que o verbo manifeste algumas de suas propriedades enunciativas intrínsecas. O trabalho tem como objetivos específicos apresentar uma hipótese de forma esquemática para o verbo CORTAR, mostrar como essa forma esquemática explica a construção de seus diferentes sentidos nos enunciados e explicitar como os valores referenciais organizam a variação desta unidade lexical em grupos distintos. Consideramos que a apresentação e discussão da forma esquemática, como contraponto a uma estrutura argumental pautada numa concepção de valência, permite revelar uma organização da variação independentemente da construção sintática em que o verbo apareça e permite uma reflexão sobre o ensino-aprendizagem da categoria verbal que integra morfossintaxe, semântica e funcionamento da língua em uso.