logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A militância no Facebook. Uma análise discursiva da publicização da Marcha das Vadias
Autor(es): tyara veriato chaves. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave memória , memória , resistência
Resumo

Propomos neste trabalho um gesto de leitura voltado para os processos de subjetivação/identificação no/pelo discurso em seus pontos de resistência sob a dominação ideológica. Buscamos compreender os sentidos de vadia nos dizeres que circulam nos Coletivos Marcha das Vadias articulando em nossa reflexão o sujeito, a história e a língua. Compreendendo os sujeitos como constituídos juntamente com os efeitos de sentidos produzidos pelos discursos (PÊCHEUX, 1975), tomamos a vadia como um ponto de opacidade que individua os sujeitos(as), em grande medida, pelo modo como o corpo é significado em determinadas condições sócio-histórico-ideológicas. Observando o uso constante das redes digitais por parte dos coletivos de militância política, voltamos o olhar para um funcionamento da Marcha das Vadias na rede digital Facebook em um ponto específico, a publicização do movimento, particularmente naquilo que em outras condições remete à figura da(o) garota(o)-propaganda - a memória de personalidades do cenário político, da indústria cultural, das artes visuais, dentre outros espaços em enunciados cujo objetivo se volta à divulgação da prática política. A pesquisa se desenvolverá a partir: 1. Das reflexões entre as relações do discurso da militância política com o formato publicitário no espaço digital 2. da seleção de um corpus discursivo dos Coletivos Marcha das Vadias de Curitiba no Facebook. 3. Da análise do corpus, levando em conta a relação entre texto e imagem, através dos princípios teóricos e procedimentos metodológicos da Teoria Materialista do Discurso - o funcionamento da memória discursiva, os processos de identificação, os movimentos de resistência - em diálogo com os estudos Feministas e de Gênero, devido às problematizações em torno dos sentidos de ‘mulher’ e da categoria ‘gênero’ como construções discursivas. Considerando as relações de desigualdade-contradição-subordinação próprias de uma formação discursiva, nossa hipótese é que há dizeres que caracterizam um acontecimento discursivo (PÊCHEUX, 1983), causador de uma ruptura, uma interrupção e fazendo emergir novas posições-sujeito. Este trabalho filia-se ao grupo de pesquisa Mulheres em Discurso/CNPq com coordenação da prof. Dra. Mónica Graciella Zoppi-Fontana. Processo 487140/2013-3.