logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Considerações sobre a lei de cooficialização das línguas Tukano, Nheengatu e Baniwa em São Gabriel da Cachoeira-Am
Autor(es): Fabiana Sarges da Silva, Frantome Bezerra Pacheco. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Política Linguística, Política Linguística, Multilinguismo
Resumo

Este trabalho refere-se aos resultados preliminares de pesquisa acerca da política linguística de cooficialização das línguas indígenas no município de São Gabriel da Cachoeira, interior do estado do Amazonas. Gerado a partir dos dados referentes a dissertação de mestrado intitulada “A lei de cooficialização das línguas Tukano, Nheengatu e Baniwa em São Gabriel da Cachoeira: questões sobre política linguística em contexto multilíngue” (SARGES, 2013), o trabalho pretende verificar se há diferenças nas opiniões e pontos de vista dos homens e mulheres indígenas residentes no município a respeito da política de cooficialização. Localizado no Noroeste Amazônico, o município apresenta uma grande diversidade de etnias, línguas e culturas. A população indígena está situada ao longo dos rios da região, em áreas culturais e linguísticas específicas e diversificadas entre si, e também na área urbana do município. Assim, são três as línguas mais faladas na região: Nheengatu (nos rios Negro e Xié), Baniwa (no Rio Içana e afluentes) e Tukano (no sistema Uaupés) as quais foram reconhecidas juridicamente na lei 145/2002 de cooficialização de línguas indígenas em São Gabriel da Cachoeira. Para o presente estudo, tomamos como base os pressupostos teórico-metodológicos da Sociolinguística como os estudos de Zimmermann (1999), Calvet (2007), e King (2001); e nos estudos acerca das relações de gênero como Chernela (1997, 2004) e Lasmar (2005). Foram aplicados, no mês de fevereiro do ano de 2012, questionários construídos com base em critérios próprios para este procedimento metodológico, adaptados a realidade sociolinguística e cultural da cidade investigada, a doze dos catorze cursos de licenciatura do Parfor (Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica - UFAM). Para este trabalho serão analisadas as respostas dadas às questões: 3.1 Você já ouviu falar na lei de cooficialização? O que sabe sobre essa lei?; 3.2 O que a lei de cooficialização representa para você?; 3.3 O que mudou para você após a aprovação da lei de cooficialização? Você tem visto mudanças na sua comunidade e/ou na cidade a respeito do uso das línguas cooficializadas? Pretende-se com essas questões verificar se a dinâmica das relações de gênero exercem influências nas opiniões e pontos de vista dos sujeitos. Espera-se contribuir com os estudos relacionados a política linguística em contextos que apresentam uma realidade multilíngue. (Apoio: Capes e IBP/ Fapeam)