logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Um retrato sociolinguístico da realização das preposições de complementos de verbos de movimento no português falado no interior paulista
Autor(es): Marcos Luiz Wiedemer. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave variação/mudança, variação/mudança, preposição
Resumo

Em março de 2004, iniciou-se o projeto ALIP (Amostra Linguística do Interior Paulista), que vem tendo como desdobramento estudos de caracterização do português falado na região noroeste do Estado de São Paulo, a partir do uso do Banco de Dados Iboruna, que reúne amostras de fala de sete municípios fronteiriços, nucleados pela cidade de São José do Rio Preto, Bady Basitt, Cedral, Guapiaçu, Ipiguá, Mirassol, Onda Verde (GONÇALVES, 2007). Esta comunicação insere-se no programa de estudos do projeto ALIP, em que analisamos um fenômeno de variação/mudança, via gramaticalização, envolvendo as preposições a/para/em que introduzem complementos locativos de verbos de movimento (caminhar, chegar, entrar, ir, levar, mudar, partir, sair, voltar), e discutimos os resultados de análises de fatores linguísticos e extralinguísticos condicionantes na seleção dessas preposições. Procurando atender nosso objetivo, investigamos amostras de fala, provenientes do português da região noroeste do estado de São Paulo, com o objetivo de mapear as mudanças por que passam as preposições ligadas ao complemento locativo de verbos de movimento. Para constatarmos esta pesquisa, valemo-nos de uma amostra de 1.464 dados, coletados em 152 entrevistas sociolinguísticas pertencentes ao projeto ALIP, distribuídas de acordo com as seguintes variáveis sociais: sexo; faixa etária (7 a 15 anos, 16 a 25 anos, 26 a 35 anos, 36 a 55 anos, + de 55 anos), e escolaridade (1º. ciclo do EF, 2º. ciclo do EF, Ensino Médio e Ensino Superior). Além disso, controlamos como grupo de fatores linguísticos: configuração do complemento locativo (ponto de referência), movimento, definitude e pessoa do discurso. Submetemos os dados a tratamento estatístico através do programa estatístico GoldVarb 2001 (ROBINSON; LAWRENCE; TAGLIAMONTE, 2001). Embasam esta investigação postulados da Gramaticalização (HOPPER; TRAUGOTT, 1993, LEHMANN, 2002) e da Sociolinguística (WEINREICH; LABOV; HERZOG, 1968, LABOV, 1972, 2001). Os resultados demonstram que há um processo de variação estável das preposições em e para com maior abstratização de significado, fato que explica a inserção de novos tipos de complementos e a atuação de fatores sociais e linguísticos na seleção de uma determinada preposição, e um processo de recuo gradativo da preposição a. Além disso, demonstramos que há um processo de generalização por especificação, com indicadores de contextos particularizados para as três preposições: a preposição a associa-se mais a locativo objeto, para, mais a espaço geográfico, e em, mais a evento, corroborando que o funcionamento das preposições que introduzem complemento locativo dos verbos de movimento apresenta-se num continuum de variação/gramaticalização.