logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: O processo de construção da (re)escrita colaborativa em um Webjornal Laboratório
Autor(es): Fernanda Taís Brignol Guimarães, Clara Dornelles. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave (re)escrita colaborativa, (re)escrita colaborativa, tecnologias de informação e comunicação (TIC)
Resumo

Este trabalho trata da análise sobre o processo de construção da (re)escrita de textos produzidos de forma colaborativa através do uso do Google Docs, para publicação em um Webjornal Laboratório. Para a análise do processo de (re)escrita colaborativa, buscamos nos apoiar em estudos realizados sob a ótica da Linguística Aplicada (LA), lançando mão, mais precisamente, da pesquisa qualitativa interpretativista e de estudos sobre letramento multi-hipermidiático (SIGNORINI, 2012). Esta pesquisa tem como base uma metodologia de cunho netnográfico (AMARAL; NATAL; VIANA, 2008; KOZINETS, 2007). Dessa forma, propomo-nos a entender a cultura de (re)escrita da comunidade observada - um grupo que, organizado sobre a ideia de colaboração, produz o webjornal como ação de extensão em uma universidade pública. Através de um olhar voltado para a interação escrita que acontece entre os participantes, investigamos como se constitui o processo de construção das práticas colaborativas de escrita - PCE e quais as possíveis mudanças provocadas no texto pelo impacto dos comentários da reescrita. Nosso estudo evidencia que a apropriação do processo de construção das PCE não se constitui tarefa fácil. As PCE compreendem uma complexa gama de estratégias que, por sua vez, exigem dos envolvidos o engajamento no planejamento conjunto e a imersão em uma cultura de escrita que envolve a autoria multi-hipermidiática (LEMKE, 2010). Por meio da análise, foi possível perceber que as tecnologias da informação e da comunicação (TICs) contribuem para a construção das PCE, já que possibilitam fluidez na interação dos participantes sobre a escrita. As estratégias de escrita preferidas na comunidade observada são a escrita em sequência e a escrita reativa. Estas são estratégias que nos parecem mais compatíveis com o caráter de recursividade e emergência presente no processo de construção dos textos para a web, facilitado pela criação de um documento que pode ser alterado de forma síncrona. Os resultados mostram, também, que os comentários da reescrita agem na reconstrução do texto dos participantes que participam há mais tempo da comunidade colaborativa, mas não daqueles que não se apropriam das estratégias de escrita predominantes no grupo.