logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Um estudo sobre as grafias não convencionais no ensino médio
Autor(es): Claudia Regina Minossi Rombaldi, Ana Paula Nobre da Cunha. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave grafias não convencionais, grafias não convencionais, aquisição da ortografia
Resumo

O presente trabalho associa-se a estudos em execução no Câmpus Pelotas-Visconde da Graça (CaVG) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (IFSul) subsidiados pela Pró-reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-graduação (PROPESP) que vêm sendo desenvolvidos pelo Grupo de Pesquisa em Aquisição da Escrita (GPAE). Com base na ideia principal de que os dados de escrita não convencional podem definir-se como "janelas para as estratégias" dos processos de que os aprendizes lançam mão em suas produções textuais (Kato, 1997); o objetivo geral desta pesquisa é o de descrever e analisar dados de escrita não convencional, característicos do processo inicial de aquisição, que persistem em textos produzidos por alunos do Ensino Médio. O corpus do estudo compõe-se por grafias não convencionais extraídas de produções textuais narrativas e dissertativas. Dentre os dados analisados procurou-se selecionar, com base nos estudos desenvolvidos pelo Grupo GEALE, as grafias não convencionais características de quatro categorias, a saber: as motivadas fonologicamente; as motivadas foneticamente; as influenciadas pela estrutura prosódica da língua e as características do sistema ortográfico. As grafias não convencionais motivadas foneticamente classificam-se como aquelas que não alteram o significado, como é o caso de ‘invergonhado’ em vez de ‘envergonhado’; as motivadas fonologicamente alteram o sentido pretendido, como ‘vez’ no lugar de ‘fez’; as influenciadas pela estrutura prosódica são motivadas pelo ritmo da língua, podendo resultar em palavras hipossegmentadas ou hipersegmentadas como ‘oque’ em vez de ‘o que’ e ‘na quela’ em vez de ‘naquela’; as características do sistema ortográfico revelam a arbitrariedade das convenções ortográficas, possibilitando que um mesmo som seja grafado por mais de uma letra como é o caso de ‘deichar’ em vez de ‘deixar’. Uma análise preliminar dos dados aponta para: a) aspectos compatíveis com os encontrados nos processos de aquisição inicial (cf. Miranda, 2007, 2008, 2009); b) índice mais elevado de erros motivados pelo sistema ortográfico da língua; e c) descrições e análises de grafias não convencionais podem trazer contribuições à compreensão do processo de apropriação das convenções da escrita pelos aprendizes em fase mais avançada de escolarização.