logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A colocação pronominal em Said Ali (1895;1919[1908]): uma reavaliação do caráter inovador da “lei fonética”
Autor(es): Stela Maris Detregiacchi Gabriel Danna. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Said Ali, Said Ali, metalinguagem
Resumo

O final do século XIX e o início do século XX foram marcados por mudanças nos estudos de descrição do português realizados no Brasil (cf. Nascentes 1939, Elia 1975, Cavaliere 2002, Polachini 2013). Neste contexto, inserem-se Manuel Said Ali Ida (1861 – 1953) e sua proposta de “lei fonética” para explicar a colocação pronominal nas variedades europeia e brasileira da língua portuguesa, encontrada – em um primeiro momento - no artigo “Estudos de Linguística – A colocação dos pronomes pessoais” (1895) e – décadas depois - em dois capítulos do compêndio Difficuldades da Língua Portugueza (1919[1908]). Em seus textos, Said Ali recusa sistematizações anteriores para esta questão, baseadas na “lei da atração”, isto é, no poder que certas categoriais gramaticais exerceriam sobre os pronomes, deslocando-os e tornando-os proclíticos. Tendo em vista este contexto, a presente comunicação tem por objetivo geral reavaliar a ‘inovação’ da hipótese fonética de Said Ali, diversas vezes mencionada em crônicas históricas sobre a questão da colocação pronominal. Para tanto, propomos: (i) reconstruir e expor, brevemente, o "clima intelectual” (Koerner, 1996) do período e dados biográficos do autor; (ii) explicitar o que podemos entender por “lei fonética” na obra de Said Ali e qual seria a sua natureza; (iii) analisar como ocorre a “escolha de retórica” (Murray, 1994: p. 23) de Said Ali – em outras palavras, verificar o modo como ele dialoga com a tradição gramatical anterior; e (iv) verificar continuidades e descontinuidades epistemológicas entre as ideias do gramático brasileiro e as dos demais estudiosos explicitamente citados por ele nos textos que tratam da questão pronominal. O cruzamento dos dados culminará em um esboço interpretativo, que apontará para alguns traços “inovadores” da obra de Manuel Said Ali Ida e para a importância de uma análise historiográfica que conjugue dados “internos” e “externos” à reflexão gramatical, visando a uma compreensão mais complexa dos estudos linguísticos do Brasil. (APOIO: CNPQ – PROCESSO 130162/2012-4)