logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Língua inglesa, cultura e transdisciplinaridade no ensino fundamental I: percursos e representações docentes
Autor(es): Joana de São Pedro. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave língua inglesa, língua inglesa, fundamental I
Resumo

O presente trabalho, em desenvolvimento, é um estudo de caso que tem por objetivo observar a prática docente de uma professora de inglês do fundamental I e suas representações a partir da interface língua / cultura, por meio de observação de aulas e entrevistas narrativas. Pretendo dirigir um olhar aprofundado para a pluralidade de saberes heterogêneos (ROCHA, 2012) e a transculturalidade (CANAGARAJAH, 2013) que pode se fazer presente nos encontros e desencontros da sala de aula. Adoto uma visão bakhtiniana de língua e cultura (BAKHTIN, 1986; FIORIN, 2006; FARACO, 2009; ROCHA, 2012). Baseio-me em Rocha (2012) que ressalta o fato de movimentos de fusão em uma sala de aula de culturas diversas não implicarem homogeinização, mas transformações múltiplas. Do mesmo modo, partilho da visão de Kostogriz (2005), para quem, na vivência da fronteira entre o EU e o OUTRO, não se perde a individualidade, mas se reconstrói a si mesmo e se articula novos significados. Assim sendo, a minha questão principal está ancorada na interface entre língua e cultura sob uma perspectiva que privilegie a formação do sujeito como cidadão que se expressa por meios linguísticos e respectivos recursos semióticos em um contexto permeado pela língua inglesa no seu dia-a-dia, na descoberta de seu EU e na interação com o OUTRO. Proponho tratar da cultura que se apresenta por meio da língua implícita aos textos e atividades propostas aos alunos ou textos e ideias que eles mesmos tragam de suas experiências e na maneira como o professor propõe um diálogo com os mesmos a partir de múltiplas perspectivas. Tendo como pressuposto que meu foco de estudo é o professor e sua atuação, enfatizo que pretendo destacar o seu papel no ensino e aprendizagem como um sujeito ativo que reflete sobre sua prática, construindo conhecimentos como autônomo e não como um mero reprodutor de regras prontas para a sala de aula. E, portanto, nessa trajetória, esse professor instiga seus alunos no movimento de olhar para si mesmos e para a alteridade. Espero, pois, ter subsídios que auxiliem a formação dos professores de língua inglesa em geral e daqueles futuros professores com os quais trabalho.