logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Um estranho no lago: aspectos da interação verbal sob o enfoque da análise da conversação
Autor(es): Silas Gutierrez. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Oralidade, Oralidade, Cinema
Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar as estratégias de cortesia no filme intitulado Um Estranho no Lago produzido em 2013 na França e exibido no 21º Festival Mix Brasil em São Paulo e Rio de Janeiro no mesmo período. Segundo Urbano (2008), a cortesia, vista sob o aspecto da interação face a face, é entendida como boa conduta entre enunciadores e enunciatários, esperada e desejável, mas não obrigatória e necessária para um bom relacionamento social. Já a descortesia é indesejável e, particularmente, marcada. No filme, em estudo, homens solitários, desconhecidos e despidos encontram-se, casualmente, em um bosque fechado e muito afastado para a prática de relação homossexual. Na tentativa de um primeiro contato, arriscam algumas falas que podem ou não garantir seus objetivos. A maioria, por meio de estratégias discursivas, luta para preservar sua identidade. O medo de ser descoberto faz com que todos sejam estranhos no bosque e se comuniquem de forma planejada. Cenas de violência permeiam este drama que, propositadamente, não conta com nenhuma personagem feminina. Em face do exposto, investigaremos como determinados recursos linguísticos, por meio do uso da cortesia, são utilizados para atenuar problemas de descortesia, timidez, constrangimento, rejeição e violência pelos estranhos que se relacionam no bosque. Para esta pesquisa, utilizaremos o modelo teórico de Brown e Levinson (1987) que estuda o conceito de interação face a face (problematizando a imagem social) relacionado com estratégias de cortesia. Segundo os autores, a imagem social apresenta duas dimensões: a positiva (desejo de ser aceito pelos demais indivíduos e de que estes compartilhem os mesmos desejos) e a negativa (desejo de liberdade de ação e de domínio de seu próprio território). Para isto, tomaremos como corpus alguns diálogos do filme, tendo como base as normas de transcrição estabelecidas pelo Projeto NURC/SP. Este trabalho centraliza-se na linha da Análise da Conversação e fundamenta-se em trabalhos realizados por PRETI (1991,1993,2002,2004), GOFFMAN (1975,2010,2011), MARCUSCHI (1986,1997,2001) e em estudos desenvolvidos pelo Projeto NURC/SP.