logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Uma mulher à beira de um ataque de nervos: artifícios retóricos na construção de um tipo risível
Autor(es): LUANA FERRAZ. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave ethos, ethos, esquete
Resumo

O contato com o outro é pouco previsível e sempre delicado. A interação social exige, no entanto, que nos esforcemos no sentido de diminuir a distância que nos separa do nosso próximo, estabelecendo acordos. Dessa forma, como oradores, buscamos alinhar pontos de vista, usando os valores de nossos interlocutores e as características do contexto a nosso favor. Nesse processo, utilizamo-nos, naturalmente, de artifícios retóricos capazes de angariar a adesão intelectual do auditório. Convém destacar, entretanto, que muitos desses artifícios também operam na construção de um bom ethos, isto é, de uma imagem que se mostre ajustada à situação de interação e aos anseios do auditório. A construção de imagens adequadas, por sua vez, incita os afetos do auditório (pathos), contribuindo de forma decisiva para a persuasão. No que concerne especificamente ao discurso humorístico, esse arranjo intelectual e afetivo visa a garantir a sedução do auditório, concretizada no riso. Sendo assim, neste trabalho, buscamos observar como os diferentes expedientes retóricos são articulados na construção da imagem da oradora do quadro “A encalhada”, um dos nove esquetes que compõem a comédia Cócegas (2004), escrita e interpretada por Heloísa Périssé e Ingrid Guimarães. Para tanto, baseamo-nos nos pressupostos teóricos da Retórica Antiga e das neorretóricas, compreendidos a partir dos estudos de Aristóteles (2000, 2005), Perelman e Olbrechts-Tyteca (1996), Reboul (1998), Meyer (2007), entre outros. O esquete em questão foi selecionado a partir do DVD Cócegas, produzido pela EMI Music Brasil, o qual constitui um registro dos espetáculos gravados no Tom Brasil Nações Unidas, em São Paulo, nos dias 10 e 11 de abril de 2004. Feita a seleção, procedemos à transcrição do corpus com o intuito de facilitar a análise do componente verbal dos esquetes. Em seguida, analisamos os componentes verbais e não verbais da cena cômica, destacando excertos que evidenciam a constituição do ethos retórico, tendo em conta seu natural imbricamento, no discurso, com o logos e o pathos. A partir de nossas análises, observamos que, no esquete “A encalhada”, a construção da imagem cômica da oradora decorre de uma organização particular do logos (escolha de palavras específicas, de figuras e de construções argumentativas) e do uso de diferentes expedientes performáticos (prosódicos, cinésicos e proxêmicos), e que a constituição do ethos risível é capaz de mobilizar no auditório, ou seja, na plateia que assiste ao espetáculo, paixões eufóricas e disfóricas, levando-a à adesão.