logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Uma descrição discursivo-funcional das orações completivas em função de sujeito na lusofonia
Autor(es): SANDRA DENISE GASPARINI BASTOS. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave orações completivas, orações completivas, lusofonia
Resumo

De uma maneira geral, a subordinação tem sido definida em termos sintáticos, sendo a oração subordinada considerada como um argumento de outra oração (tradicionalmente chamada oração matriz ou principal). A Gramática Discursivo-Funcional (doravante GDF), proposta por Hengeveld e Mackenzie (2008), prevê quatro níveis de análise (Interpessoal, Representacional, Morfossintático e Fonológico) e também define a subordinação a partir de suas características sintáticas, ao considerar que essas orações podem ocorrer como constituintes de outras orações. No entanto, como um modelo que permite incorporar aspectos funcionais à descrição morfossintática das estruturas linguísticas, a GDF classifica as construções completivas a partir do tipo de unidade semântico-funcional que elas representam, destacando, assim, os aspectos semântico-discursivos dessas construções em moldes semelhantes aos de trabalhos anteriores, como, por exemplo, Dik (1997) e Noonan (1985), entre outros. O presente trabalho tem por objetivo apresentar, usando o aparato teórico da GDF, uma descrição funcional das orações subordinadas substantivas encaixadas que atuam como argumentos sujeito de um verbo, destacando aspectos semânticos e discursivo-pragmáticos que interferem na sua estruturação morfossintática. A proposta de Hengeveld e Mackenzie (2008) é a de que, em termos semânticos, orações completivas equivalem a unidades de diferentes ordens, sendo a semântica do predicado da oração principal responsável por determinar o tipo de unidade interpessoal ou representacional que pode ocorrer como oração encaixada. Nesse sentido, interessa a este trabalho verificar as correlações existentes entre os processos de formulação semântica e de codificação morfossintática das orações completivas, restringindo a análise às unidades do nível Representacional (Conteúdo Proposicional, Episódio, Estado-de-Coisas ou Propriedade). Para demonstrar em que medida os significados do predicado da oração principal determinam propriedades formais e semânticas da oração encaixada, adotamos uma classificação semântica dos predicados identificados, conforme proposta de Sousa et al (no prelo). Também analisamos a correlação entre a semântica do predicado e outros aspectos da codificação morfossintática das orações completivas, tais como o caráter finito/não-finito, identidade dos participantes sujeitos envolvidos, modo e tempo verbal. Para completar a análise, descrevemos o tipo de unidade semântica representado pelo complemento oracional em função de sujeito. O córpus utilizado no trabalho denomina-se Português Falado - Variedades Geográficas e Sociais e foi organizado pelo Centro de Linguística da Universidade de Lisboa, em parceria com a Universidade de Toulouse-le-Mirail e a Universidade de Provença-Aix-Marselha.