logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Língua e paz: designação e argumentação
Autor(es): Claudia Freitas Reis. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Semântica do Acontecimento, Semântica do Acontecimento, Argumentação
Resumo

Neste trabalho, que compõe o quadro de análises de nossa tese de doutoramento, apresentamos o estudo da designação das palavras língua e paz em textos da UNESCO com o objetivo de compreender de que forma funciona a argumentação que sustenta esta instituição enquanto responsável pela resolução de problemas linguísticos, tomando como aparato teórico-metodológico os pressupostos da Semântica do Acontecimento. Desta forma, pelo estudo dos Domínios Semânticos de Determinação das palavras língua e paz, pretendemos compreender o funcionamento de suas designações e refletir sobre a forma como os sentidos destas palavras constituem argumentos para sustentar a responsabilidade desta Instituição no tratamento dos problemas linguísticos. De uma maneira geral a circulação desigual entre as línguas e o desaparecimento, ao longo do tempo, de muitas delas implica, segundo a UNESCO, diretamente em um problema de ordem cultural, uma vez que as línguas, como veremos, são tratadas enquanto patrimônios culturais. Também entra enquanto problema para a Organização o desenvolvimento tecnológico e a forma como este novo espaço possibilita que algumas línguas sejam usadas e outras não. Outro ponto que interessa à UNESCO é a relação entre língua e ensino, problematizando as línguas usadas nos contextos educacionais. Com as análises que apresentamos, buscamos compreender de que forma as propostas da UNESCO com relação aos problemas linguísticos se sustentam enquanto pertinentes e pertencentes às responsabilidades da Instituição. Para tanto, apresentamos a análise de dois enunciados que encontramos na homepage da UNESCO e das palavras que configuram os links que nos levam aos textos que tratam dos problemas linguísticos. Pretendemos desta forma, articular a proposta da UNESCO, em um panorama mais amplo, enquanto uma proposta que pauta suas ações em todas as áreas que julga pertinente à sua atuação, com o que se coloca como um problema linguísticos que cabe à esta instituição resolver. Nossa hipótese é a de que os sentidos dos enunciados podem nos indicar este funcionamento argumentativo, sendo que há uma constituição de sentidos para as palavras língua e paz que sustenta a argumentação que legitima a atuação da UNESCO neste campo.