logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Investigação do contexto de produção e circulação de manuscritos na administração colonial do Brasil e a implicação desse processo na escrita do século XVIII
Autor(es): Gabriela Lubascher Miragaia, Mariana Costa Mendes. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Filologia Portuguesa, Filologia Portuguesa, Linguistica Histórica
Resumo

Neste painel, apresentam-se resultados alcançados por meio de projeto de iniciação científica realizada na área da Filologia Portuguesa, na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Trata-se de trabalho filológico que busca produzir fontes confiáveis para estudos linguísticos por meio de análise e edição semidiplomática de manuscritos setecentistas. O material utilizado no projeto limita-se à documentação relacionada ao Governador e Capitão General da capitania de São Paulo, Rodrigo Cesar de Menezes, cobrindo o período de 1721 a 1728. Uma parte dos documentos que compõe ocorpus está editada em quatro volumes da Publicação Official de Documentos Interessantes para a História e Costumes de São Paulo, do Arquivo Público do Estado de São Paulo, e outra parte, manuscrita, selecionada no catálogo do Projeto Resgate “Barão do Rio Branco” e em documentos avulsos do mesmo arquivo. O projeto tem o objetivo de identificar e analisar quatro fatores relacionados à produção manuscrita na administração colonial: 1) cargos ligados à prática de escrita no século XVIII, naquela região; 2) correspondentes envolvidos na documentação que compõe o corpus relacionado ao governador Menezes3) questões de autoria e o contexto de produção e circulação dos documentos; 4) o quanto esses três fatores poderiam auxiliar no estudo das práticas de escrita setecentista. Nesse contexto, várias possibilidades estão em jogo: a) manuscritos escritos pela mão do próprio autor, autor material, autógrafo; b) acompanhados pelo autor intelectualmente, mas pela mão de terceiros, ideógrafos; c) reproduzidos, mais ou menos integralmente, por cópias, apógrafos. Cada um desses contextos de produção reflete diferenças gráficas importantes para os estudos da língua do período. Ao final da pesquisa, espera-se ampliar o conhecimento da situação linguística do português em documentação manuscrita produzida no Brasil colonial e contribuir de forma concreta com os estudos sobre a História da Língua Portuguesa, com destaque para o século XVIII.