logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Piada de brasileiro: para além da representação regional
Autor(es): Ana Cristina Carmelino. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Discurso, Discurso, Piada de brasileiro
Resumo

Este trabalho busca constatar a existência de “piada de brasileiro”, assim como ocorre com outras nacionalidades, a exemplo do português (desprovido de inteligência), do japonês (de pênis pequeno), do francês (considerado sujo) ou do argentino (mostrado como arrogante, que se acha o melhor em tudo). Não se trata de uma rotulação, como acontece com loiras, políticos, sogras e tantos outros segmentos que se tornam protagonistas de textos de humor, cada um com uma característica socialmente construída (loiras seriam pouco inteligentes, políticos são corruptos, sogras são megeras etc.), mas de discursos que circulam corriqueiramente no Brasil. Entende-se que “piada de brasileiro” seja um tema bem recorrente e que, contraditoriamente, ainda carece de um estudo mais detalhado do ponto de vista discursivo. Há, é fato, pesquisas que analisam piadas e abordam a construção de estereótipos (traços identitários) de moradores de certas regiões do Brasil, como é o caso do mineiro (esperto), do baiano (preguiçoso) e do gaúcho (veado). No entanto, não há estudos que investigam as representações do brasileiro como um todo. Os pressupostos teóricos que fundamentam nossas análises são da Análise do Discurso, porque refletem e refratam como o humor se constrói discursivamente em piadas sobre brasileiros. Parte-se, portanto, da premissa de que as representações humorísticas nas suas formas e procedimentos forjam-se nos fluxos e refluxos do tecido histórico e social da vida. São consideradas também teorias que contribuem para as análises, como é o caso das ligadas ao humor, das quais podemos destacar as de Freud, Raskin, Attardo, Travaglia e Possenti. O corpus é composto por exemplos de piadas extraídas de enunciados de circulação em ambientes virtuais e meios impressos. Tipicamente anônima e curta, a piada, que se caracteriza por ser um texto narrativo (e dialogal) de humor com final inesperado, é tomada aqui como fonte de veiculação de traços identitários, de representações culturais e ideológicas.